terça-feira, 31 de Janeiro de 2012 18:49h Atualizado em 1 de Fevereiro de 2012 às 11:12h. Marina de Morais

Chuvas provocam 40% de perda da produção agrícola em Divinópolis

De acordo com agricultores os danos estão sendo provocados há mais de um mês. Eles dizem que a situação tende a melhorar nos próximos meses.

Segundo Rodrigo Amaral, coordenador dos convênios federais e funcionário da Secretaria Municipal de Agronegócio, as chuvas provocaram uma queda na produção agrícola de vegetais folhosos como alface, agrião, cebolinha, couve, entre outros. Rodrigo diz que a perda foi geral, afetando várias regiões da cidade e comunidades vizinhas, e pode chegar até 40%.
Geraldo Belonil é agricultor familiar há 6 anos. Ele conta que o prejuízo causado pelas chuvas foi irreparável. De acordo com ele, sua plantação está tendo perdas de produção há aproximadamente 60 dias, apenas agora está plantando novamente e a produção está começando a se estabilizar. “A folha é muito sensível. As alfaces, jilós, pimentão e acelga foram perdidos. Só as frutas e milhos verdes não sofreram com as chuvas”, explica.
De acordo com o agricultor Rony Francisco Silva, cerca de 40% da sua produção de tomates foi perdida devido às chuvas e ao sol excessivo. Rony conta que o prejuízo gira em torno de 2 mil quilos, mensurados em 30 dias de produção. “Eu colhi o que deu, mas a maior parte da produção ficou danificada”, comenta.
Rodrigo explica que em casos de prejuízos provocados por clima não há muito que fazer, pelo fato de a maioria das produções ser a céu aberto. Ele ressalta que a prefeitura vem realizando ações preventivas nas estradas rurais desde 2010. De acordo com ele foram realizadas ações preventivas, na reforma das estradas, e reparadoras, nos casos de danos causados pelas chuvas. Rodrigo diz que as ações fazem parte do projeto estadual Rural Minas e que as estradas rurais precisam estar em boas condições. “Sem a estrada o agricultor não consegue trazer as produções para a cidade. Então, estamos trabalhando nisso”, explica.

Programa de Aquisição de Alimentos

Rodrigo diz que os danos da chuva também puderam ser percebidos no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). O programa, criado pelo Governo Federal, tem como objetivo ampliar o acesso aos alimentos produzidos em lavouras da região. Para isso, a prefeitura da cidade compra frutas, legumes, verduras, quitandas, queijo, doces e polpas dos agricultores familiares e repassa, gratuitamente, para entidades assistenciais como creches, asilos, centros de reabilitação, banco de alimentos, entre outros.
De acordo com o Censo de 2010, 3% da população divinopolitana se encontra no campo. Assim, o programa incentiva também a produção dos agricultores familiares, que são hoje cerca de 300 trabalhadores e podem comercializar até R$4.500 por ano. A quantidade de alimentos adquiridos gira em torno de 591 toneladas por convênio, que dura 24 meses.
A produção dos agricultores familiares é fiscalizada pelo Serviço de Inspeção Municipal, que inspeciona a origem dos alimentos e orienta os agricultores sobre como manter a boa qualidade dos alimentos.
O recebimento dos alimentos é realizado uma vez por semana, na sede municipal do PAA. Na última terça-feira, 31, os alimentos recolhidos consistiam em sua maioria de frutas, queijos e quitandas, devido às chuvas. Rodrigo, que fica responsável pelo recebimento, mostra folhas de couve: elas tem a aparência de velha, com buracos e estão murchas. De acordo com ele, os vegetais folhosos foram adquiridos em porcentagem menor nas últimas semanas e estão danificados, rasgados e perfurados, por causa das chuvas.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.