sábado, 11 de Abril de 2015 03:38h Atualizado em 11 de Abril de 2015 às 04:42h. Mariana Gonçalvez

Cirurgia por meio de vídeo será realizada hoje em Divinópolis

Será realizada hoje, no Hospital São João de Deus (HSJD), três vídeo-cirurgias para a correção de deformidades na parede torácica

Mais um episódio envolvendo a definição da empresa que vai cuidar da iluminação pública de Divinópolis deve atrasar o processo de contratação da companhia. Depois de ter sido publicado no Diário Oficial dos Municípios Mineiros o indeferimento do recurso interposto pela Quark Engenharia e mantida a inabilitação da empresa, uma terceira instituição surgiu como possível prestadora do serviço no município.
Isso porque, apesar da divinopolitana KPL Instalações, que fica no bairro Halim Souki e que já presta serviços para a Cemig, ter sido a segunda colocada, regras da licitação fizeram com que a Construtora Siqueira Cardoso (CSC) – que havia ficado na sexta colocação – tivesse prioridade na concorrência. “A Construtora Siqueira Cardoso ficou em sexto lugar na licitação sobre prestação de serviços de iluminação pública em Divinópolis. Por ser microempresa, tem prioridade e passou para a segunda posição”, explicou a Prefeitura, em nota.
De acordo com a Prefeitura, a pregoeira municipal enviou correspondência à CSC – que é de Passos (MG) – solicitando a documentação necessária para assumir os serviços de iluminação. A partir da data do recebimento, a empresa tem 24 horas para enviar a documentação para prestar o serviço. Após a apresentação do recurso, a pregoeira terá mais três dias para analisar se a empresa tem a capacidade de assumir o serviço em Divinópolis.

ENTENDA
A apresentação das propostas por meio de pregão eletrônico, ocorrida no dia 26 de março, teve a participação de duas concorrentes. A Quark Engenharia, com sede em Joinville, Santa Catarina, foi a vencedora da licitação, com a proposta de R$ 3,97 por ponto de iluminação. A KPL Instalações foi a segunda colocada, com proposta de R$ 3,98.
No entanto, a licitação precisou ser temporariamente suspensa, já que a Quark Engenharia não apresentou atestado de capacidade técnica, estando em desacordo às exigências do edital. A empresa decidiu recorrer da decisão. “Vamos recorrer dentro do prazo, pois temos condições de sanar os problemas verificados”, garantiu a empresa, na ocasião. O indeferimento do recurso interposto foi publicado no Diário Oficial de ontem, o que mudou novamente os rumos da disputa. A CSC ainda deve apresentar o valor de proposta, que precisa ser menor do que o da primeira colocada.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.