sábado, 11 de Junho de 2016 11:29h Pollyanna Martins

Cirurgias de Urgência e Emergência continuam suspensas no HSJD

O serviço está suspenso desde a manhã da última quarta-feira, para o SUS, convênios e particular

POR POLLYANNA MARTINS

pollyanna.martins@gazetaoeste.com.br

 

As cirurgias de urgência e emergência continuam suspensas no Hospital São João de Deus (HSJD). O serviço foi suspenso na manhã da última quarta-feira (7), e nenhuma cirurgia está sendo feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), particular ou por convênios. A denúncia foi feita pelo vereador Delano Santiago (PMDB), na reunião ordinária da Câmara Municipal, dessa quinta-feira (9). O vereador criticou o constante fechamento e reabertura de vários setores do hospital, que enfrenta uma severa crise financeira desde 2012. “A cada mês fecha uma unidade. Em um mês, você vai e fecha a pediatria, reabre a pediatria, fecha o pronto-socorro, reabre o pronto socorro, agora fecharam a unidade cirúrgica do Hospital São João de Deus”, ataca.

 

 

De acordo com o vereador, a unidade cirúrgica não foi fechada como forma de protesto dos médicos, mas porque o contrato entre o hospital e a clínica cirúrgica não foi renovado. “Há a necessidade de ter um novo contrato, e um novo contrato precisa ser discutido com os médicos da clínica cirúrgica, o Hospital São João de Deus, o estado e o município”, ressalta. Com 13 médicos, a clínica cirúrgica realizou em abril 956 cirurgias de urgência e emergência, entre SUS, convênios e particulares. O contrato com a clínica é feito anualmente, podendo ser prorrogado por mais um ano. O vereador frisa ainda que algo precisa ser feito rapidamente para salvar o hospital.  “Sem mobilização, o Hospital São João de Deus vai fechar, isso é fato. O [hospital] São João de Deus está a cada dia fechando uma porta”, enfatiza.

 

 

UPA

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), com a suspensão das cirurgias de urgência e emergência no Hospital São João de Deus, os pacientes que aguardam uma vaga pelo SUS, na Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24H), estão sendo estabilizados na unidade, cadastrados no SUS-Fácil e aguardando vaga em hospitais da região, ou em Belo Horizonte. A assessoria ressaltou que o município está em dia com os repasses que são feitos para o hospital.

 

 

 

HOSPITAL

A assessoria de imprensa do Hospital São João de Deus informou que, na tarde de quarta-feira (7), foi providenciado um novo contrato para a clínica cirúrgica. A assessoria alegou ainda que a direção do hospital aguarda um posicionamento dos chefes da clínica para a reabertura do serviço, mas que o serviço ainda não tem previsão de funcionamento.

 

 

 

OUTRO CASO

Este é o segundo caso de um serviço suspenso no HSJD por causa de contrato que não é renovado. Há 30 dias, pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e infantil, e da internação do Hospital São João de Deus (HSJD) ficaram sem a fisioterapia respiratória - procedimento necessário para quem faz uso da ventilação mecânica – por falta de renovação de contrato.

Na época, a diretora da Respirar Fisioterapia (empresa que presta o serviço), Solange Ribeiro, disse que o contrato da empresa com o hospital que é renovado anualmente venceu no dia 7 de maio, e mesmo ciente do término da prestação de serviço, a instituição não providenciou a renovação do mesmo.

 

 

A diretora informou ainda que o serviço era realizado por 23 profissionais, 24 horas por dias, porém, devido à crise financeira que o hospital enfrenta, o número de fisioterapeutas foi reduzido para 13, e o procedimento realizado 18 horas por dia. Cerca de 100 pacientes que são atendidos diariamente no hospital foram afetados pela suspensão do serviço. O serviço foi restabelecido no dia 9 de maio, três dias após a interrupção.

Leia Também

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.