sexta-feira, 12 de Agosto de 2011 10:30h Flaviane Oliveira

Classes C e D crescem em Divinópolis e movimentam economia

Já a classe que mais se endivida é aquela com maior poder aquisitivo

Em grande expansão e ávidas por consumo, as classes C e D movimentaram no último ano um mercado de R$ 834 bilhões, despertando o interesse da indústria de bens e serviços, que tem buscado atender as necessidades desses consumidores. Em Divinópolis a situação não foi diferente. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Rafael Pinto Nogueira afirma que a evolução dessas classes na cidade do divino já são bem visíveis. De acordo com o presidente, foi possível notar esse crescimento de dois anos para cá e já no ano passado, os traços dessa mudança foram mais bem percebidos. Nos últimos anos, o país, que criou milhares de novos postos de trabalho, e ainda os programas de distribuição de renda aumentaram o potencial de consumo dos brasileiros. Em 2010, as classes C e D movimentaram mais de 30 bilhões segundo levantamento do Instituto Data Popular. O total é mais do que o consumido no último ano pelas classes A e B juntas. Em Divinópolis, esse crescimento é medido por meio de pesquisas realizadas pela CDL/SPC junto ao SEBRAE, que monitoram os níveis de inadimplência, aumento de compras no comércio e o número de pessoas empregadas, além do salário médio recebido. Por meio dessas variáveis fica fácil perceber como a economia tem evoluído e as classes que antes tinham menor poder aquisitivo já estão inseridas nas decisões de compra.

 

 

 

GANHOS E GASTOS


Rafael destaca que em Divinópolis 44% da população economicamente ativa ganha até um salário mínimo e meio por mês. Enquanto isso, 28% da população recebe mensalmente até três salários, o que totaliza 72% dos divinopolitanos. Enquanto isso, somente 8% da população ganha acima de três salários e até cinco salários no município. Os outros 10% teem salários superiores aos cinco mencionados.  O presidente da CDL conta que há menos de dois anos, a população dessa faixa econômica correspondia a 60% do total.

 

De acordo com a reportagem da Revista Mercado, Edição 39, a nova classe média é responsável por 78% das compras nos supermercados, por 70% dos cartões de crédito do país e por 80% das pessoas que acessam a internet. A preocupação com a educação também é visível. Nessas famílias, o gasto com material escolar, livros e pagamento de escolas subiu de R$ 1,8 bilhões em 2002 para R$ 15,7 bilhões em 2009.

 

POSITIVIDADE


Rafael avalia que esse crescimento das classes C e D é muito positivo para o município, pois a população inclusa nessas classes consome basicamente dentro de Divinópolis, o que aumenta sensivelmente a circulação de dinheiro na cidade e trás melhorias em caráter local, além de incluir grande número de pessoas na faixa de consumo.


Quando questionado sobre o risco do aumento da inadimplência no município devido a alta da facilidade de crédito e o aumento do poder aquisitivo, Rafael afirma que essa é a faixa mais consciente na hora das compras e os consumidores  são considerados em sua maioria como bons pagadores. O presidente da CDL falou ainda que as classes que ganham menos costumam comprar menos e apesar de não haver dados estatísticos no momento, as pessoas com maior endividamento são aquelas que apresentam maior poder aquisitivo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.