quinta-feira, 17 de Março de 2011 00:00h

Coleção outono/inverno mostra ao mundo o que o centro-oeste tem de melhor

Flaviane Oliveira

Glamour, qualidade e inovação, estes foram os principais ingredientes da terceira edição do Fashion Show, que promete um inverno com economia aquecida. O evento realizado nesta semana, nos dias 15 e 16, mostrou em primeira mão o que será tendência na próxima estação. Como em todas as demais edições, o Fashion Show, trouxe para a passarela o que de melhor o polo modista da região tem a oferecer.

Durante o desfile, o diferencial também ficou por conta do show da Banda Gang Lex, na interpretação de grandes sucessos. Com grande qualidade e sofisticação os desfiles realizados nos últimos dois dias no Divishop mostraram também o que de melhor a região tem a oferecer quando se fala em moda.

A escolha da data faz parte de um calendário que visa atender aos lojistas que compram no atacado. Os demais estados onde a moda movimenta a economia também realizam a apresentação das novas coleções nas mesmas datas em que Divinópolis traz ao público o que será moda na próxima estação. Dessa forma dá tempo do lojista comprar fazer seus pedidos e receber nas lojas a coleção de outono/inverno.

Muito xadrez, estampas étnicas que vão desde o floral às formas geométricas e assimétricas são destaque nas coleções apresentadas. Cores vibrantes e tons fechados como preto e tons de cinza também prometem movimentar e aquecer as vendas na estação mais fria do ano. Os dois eventos contaram com a participação de grandes investidores da moda mineira, além de um número expressivo de visitantes e profissionais da imprensa tanto de Minas Gerais como de outros estados.

TENDÊNCIAS

Rodrigo Bessa, produtor artístico do evento, destaca as tendências trabalhadas para a próxima estação, “As produções vão desde o estilo militar, passando um momento safári que retorna às coleções. Temos também as referências que sempre aparecem, que são estampas étnicas que vão desde o floral, geométrico, assimétrico e o xadrez” destaca.

O produtor ressalta ainda que as produções da moda atual veem sofrendo alterações positivas, “As tendências hoje se tornaram difíceis de direcionar a apenas um foco como no passado. Hoje cada empresa trabalha muito mais numa inspiração, numa proposta de pesquisa de coleção, do que simplesmente apostar em uma peça chave, num produto com uma cara, com uma máscara bem caracterizada.

Às vezes a empresa trabalha com um pouco de militar, um pouco de safári, um pouco das cores de inverno que vai desde o marrom, o verde escuro, cinza, até cores de verão que aparecem no inverno como o pink. E lógico o preto parece ser a cor chave da estação” ressalta.

Atualmente as empresas do polo da moda trabalham uma padronagem individual e criam estampas exclusivas e acabam por criar uma identidade que vai além de simples tendência. O produtor afirma ainda que Divinópolis vem trabalhando a moda na região de forma que não deixa nada a dever aos grandes centros modistas como São Paulo e Rio de Janeiro.

PARCERIAS

Para trazer às passarelas a coleção outono/inverno, muito trabalho foi preciso. Parcerias foram firmadas e empresários de toda a região uniram esforços. Afim de que Divinópolis fizesse jus ao título de polo da moda do centro-oeste mineiro.

Para o presidente do Sindicato do Vestuário de Divinópolis, Antônio de Araújo Rodrigues Filho (Toninho), o evento, além da visibilidade dos desfiles, gera postos de trabalho, “Temos uma movimentação grande de pessoas trabalhando em torno deste evento e acaba atraindo e consolidando a história do polo confeccionista em Divinópolis além de gerar mais empregos e distribuindo renda” destaca.

O responsável pela gestão do Divishop, Laércio Ribeiro, afirma que o impacto trazido pela realização dos desfiles é imediato, “Geralmente o cliente que assiste o desfile e vê uma determinada peça e sabe que vai ter uma boa saída, já corre na loja e compra. Então a gente tem relato de lojas que logo após o término do desfile, já estão efetuando venda do modelo que estava na passarela” admite.

Laércio destaca ainda que é contabilizado o aumento de 25 % nas vendas após os desfiles. Semanalmente a cidade recebe uma média de cinco a sete mil pessoas para visitar as lojas do setor modista. Além de atender toda Minas Gerais, a moda divinopolitana já leva o nome da cidade para a Bahia, Brasília, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Aracaju.

INVESTIMENTOS

A prefeitura municipal é um dos órgãos investidores do Fashion Show. Em nota divulgada no Diário Oficial, o poder público municipal destinou verba no valor de R$ 10 mil reais para apoiar a realização do evento, “A prefeitura é parte investidora neste evento porque nós acreditamos na moda divinopolitana e achamos que o Brasil merece vê-la melhor” destacou o prefeito Vladimir Azevedo.

Para o prefeito, o Fashion Show é um evento de grande relevância, “Eventos como esse mostram a moda divinopolitana que é uma das identidades que a cidade tem. Nós estamos aí com o SINVESD e todos os empresários do setor em mais esta empreitada, para que nós possamos promover cada vez mais o setor, e dessa forma possamos gerar mais empregos, mais riqueza para a cidade, fomentando o turismo de negócios” finalizou.

Glamour, qualidade e beleza fazem parte da coleção outono/inverno

Peças que abusam de tons em xadrez, estampas étnicas que vão desde o floral às formas geométricas e assimétricas são destaque nas coleções apresentadas. Cores vibrantes e tons fechados como preto e tons de cinza também prometem movimentar e aquecer as vendas na estação mais fria do ano. Os eventos desta semana contaram com a participação de grandes investidores da moda mineira, além de um número expressivo de visitantes.


 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.