terça-feira, 3 de Fevereiro de 2015 09:12h Atualizado em 3 de Fevereiro de 2015 às 09:34h. Lorena Silva

Com elevação, gasolina em Divinópolis chega a até R$ 3,50

Em alguns casos, reajuste ficou além dos R$ 0,22 do aumento nas refinarias

O reajuste no preço do combustível nas refinarias já causou efeito também no bolso dos condutores de Divinópolis. Antes mesmo do aumento do preço da gasolina entrar em vigor no último domingo, alguns postos de combustível já haviam repassado para o consumidor o reajuste de R$ 0,22 no preço do litro da gasolina e de R$ 0,15 no valor do diesel. Em determinados casos, a elevação ficou além do esperado.
Dos cinco postos averiguados pela reportagem, nos quais foi possível acompanhar os valores antes e depois da modificação, em apenas dois casos o preço reajustado da gasolina comum foi inferior a R$ 0,22. Em um dos casos o valor foi igual ao aumento de preço da distribuidora e em outros dois postos o valor foi superior. Um dos postos da Avenida Getúlio Vargas, no Centro, que vendia a gasolina a R$ 3,149 passou a vender o combustível a R$ 3,499 – um reajuste de R$ 0,35, o maior registrado pela reportagem.
Já um posto de combustível da Avenida Sete de Setembro, no bairro Santa Clara, que, segundo o último levantamento feito em Divinópolis pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) até o último dia 31 vendia o combustível a R$ 3,199, ontem estava vendendo por R$ 3,499 – reajuste de R$ 0,30. Em um posto da Avenida Primeiro de Junho, no Centro, o reajuste foi de R$ 0,20, passando de R$ 2,999 para R$ 3,199.
Ontem, o preço mais barato encontrado pela reportagem para a gasolina foi de R$ 3,069, praticado por um autoposto da Avenida JK, no bairro Bom Pastor. De acordo com o último levantamento realizado pela ANP, o valor cobrado pelo combustível era R$ 2,989.

 

IMPOSTOS
No último dia 19, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, anunciou medidas de aumento de tributos para reforçar a arrecadação do governo, com o objetivo de obter neste ano R$ 20,6 bilhões em receitas extras. Segundo o ministro, a maior parte da arrecadação virá da elevação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis e do retorno da Contribuição para Intervenção no Domínio Econômico (Cide).
A elevação do PIS e da Cofins – de R$ 0,22 na gasolina e R$ 0,15 no diesel – valerá por três meses, período necessário para a entrada em vigor da Cide, que estava zerada desde 2012. Depois desse prazo, o reajuste do PIS/Cofins cai para R$ 0,12 para a gasolina e para R$ 0,10 centavos para o diesel. A Cide subirá R$ 0,10 por litro de gasolina e R$ 0,05 por litro do diesel.
Com informações da Agência Brasil.

 


Crédito: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.