terça-feira, 3 de Maio de 2011 10:45h André Bernardes

Começa a reforma do velório municipal

Começa na próxima semana a reforma do prédio que fica na Praça Elizeu Zica, no bairro São José, para sediar o velório municipal. A obra é uma reivindicação antiga da população, já que a cidade tem apenas salões particulares para velórios.


O prédio abrigava o salão comunitário e era usado pela Associação dos Moradores do bairro São José, que era cedido pela presidência para fazer os velórios. O vereador Edmar Rodrigues (PMDB), que fez o pedido da reforma para a prefeitura, disse que o prédio não tinha a estrutura adequada para comportar um velório. “Nós tínhamos um transtorno muito grande porque lá nos temos uma escada com vários degraus, e dificultava para as pessoas como cadeirantes ou com necessidades especiais e também os idosos. E existia uma gráfica na parte debaixo do salão comunitário, então nós pedimos que tirassem essa gráfica. Ficou este espaço vazio, onde será o velório municipal” conta o vereador.


Edmar lembra que o velório já é uma reivindicação antiga da população. “Eu acho uma obra importante. Será reformado o espaço que nós estamos cobrando a muitos anos, desde a gestão passada, e agora nós sensibilizamos o prefeito e mostramos a importância deste velório no bairro São José. Agora o mais rápido possível, deverão ser feitas algumas adequações. Uma reforma no banheiro, uma troca de piso, uma porta, para que até o final do mês de maio nós possamos ter um espaço para velar os entes queridos daquela pessoas da região do São José” diz.


O prédio comportará apenas um velório. Será feita uma sala de descanso, uma cantina e dois banheiros. Serão gastos na obra a quantia de R$32.315 e a previsão de conclusão será de dois meses.

 


A novidade agradou os moradores do bairro São José, porém alguns ainda estão inseguros, pois acreditam que o velório poderá influenciar as ações que são realizadas na praça. Para Eli José de Faria, membro do conselho do bairro será preciso uma reunião com a prefeitura para discutir os critérios de utilização do velório. “Já é uma reivindicação antiga, mas a única preocupação é que precisamos rever como ficará a situação da praça, pois sempre fazemos apresentações ali. Então temos que reunir com a prefeitura para ver como será administrada esta questão. Mas o velório é necessário, porque em cidade menores tem. Agora temos que ver como será administrado” diz Eli.


De acordo com Simonides Quadros, secretário adjunto de Operação Urbanas da Semoudes, os critérios de utilização para usar o velório ainda não foram discutidos. “Depois da reforma vamos avaliar quais serão os critérios para uso do velório, se haverá alguma taxa e como será usado” conta.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.