segunda-feira, 5 de Agosto de 2013 07:08h Daniel Michelini

Comércio registra baixo índice de contratação

Divinópolis registrou uma queda acentuada nos número de geração de empregos em 2013. É o que mostram os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na semana passada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). De

Divinópolis registrou uma queda acentuada nos número de geração de empregos em 2013. É o que mostram os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na semana passada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). De acordo com o estudo, a geração de empregos em Divinópolis, no primeiro semestre de 2013, foi menor do que a registrada no mesmo período do ano passado. Foram criados no município apenas 171 postos de trabalhos no primeiro semestre deste ano, enquanto em 2012 o número foi de 961, significando uma diminuição de 82,3%.
Nesse ano, o setor que registrou o maior baixo índice foi o comércio, ficando com um saldo negativo de 322 novos postos de trabalho. Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Divinópolis (CDL), a queda não foi “privilégio” de pequenas empresas, mas também atingiu os grandes centros comerciais da cidade.
O baixo registro de vendas nos comércios varejistas da cidade é uma das principais causas para as poucas contratações e alta no índice de demissões nesse ano. É o que opina a comerciante Virgínia Lopes. Segundo ela, nos últimos anos, o segundo semestre foi o período que registrou o maior número de comercializações, especialmente no fim do ano, com as proximidades do Natal: “A partir de outubro, o mercado aquece. É o período em que contratamos estagiários para empregos temporários. Muitas pessoas compram nessa época, principalmente dezembro”, afirmou.
Em relação aos estágios, Virgínia diz que o crescimento das demissões se deve também a eles: “Como são empregos temporários criados no fim do ano passado, muitos acabaram não sendo efetivados. Devem ter sido maioria na estatística”, opinou a comerciante. Mesmo assim, ela confirma que o movimento registrado no primeiro semestre foi abaixo do esperado, se comparado com as vendas no mesmo período dos últimos anos: “Sempre esperamos um bom movimento, mas esse ano foi complicado. Sempre temos grande expectativa para o segundo semestre, mas estamos de sobreaviso”, afirmou.
A situação do comércio não piorou apenas em Divinópolis. Em todo o estado de Minas Gerais, o número de gerações de empregos passou de 179.074 para 129.357. No país, o saldo, nas mesmas comparações anteriores, resultou em uma redução de 21,16%, ou seja, a criação de empregos caiu de 1.047.914 para 826.168.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.