quarta-feira, 5 de Dezembro de 2012 06:11h Carla Mariela

Comissão Especial de Investigação

Durante a Reunião Ordinária do Poder Legislativo de Divinópolis, ontem, às 14hs, o presidente da Câmara Municipal, Anderson Saleme (PR), explicou aos presentes no plenário sobre a criação de uma Comissão Especial de Investigação, a qual será composta pelos vereadores legislativos Adair Otaviano (PMDB), Hilton de Aguiar (PMDB) e Edmar Rodrigues (PSDB).
A comissão foi criada a pedido do parlamentar Adair Otaviano, com o objetivo de averiguar possíveis irregularidades na seleção dos contemplados com o programa Minha Casa, Minha Vida.
De acordo com Adair, ele recebeu várias denúncias de pessoas que estão alugando ou vendendo as casas e repassando para outras morarem. “O objetivo de nós vereadores e de ter pedido essa comissão, é pelo fato de nesse último mês ter recebido denúncias das mais variadas, de casas alugadas, de casas vendidas, de mãe e filha que receberam casa, inclusive filha de 16 anos que ainda mora com a mãe e não é casada, não tem filhos, denúncia de que pessoas jovens de 23, 24 anos, que conseguiram serem sorteadas já que esses imóveis têm finalidade social, pelo programa do Governo Federal, mas do jeito que as denúncias chegaram, essa finalidade social não foi atingida, pelo contrário, as casas foram repassadas para pessoas que até precisam, mas que nesse 1º sorteio deveria se observar o critério da necessidade social”, relatou.
Ainda conforme Otaviano, a Comissão foi criada para fazer uma apuração, e se realmente às denúncias forem verídicas, ele junto com Edmar Rodrigues e Hilton de Aguiar, vai fazer uma orientação no relatório, talvez para a Caixa Federal ou para o Executivo, uma vez que as inscrições partiram do Executivo, para que sejam revistas a entrega dessas casas.
“Não é possível que repassaram a casa para uma pessoa que mora com a mãe, uma moça de 16 anos ganhou um imóvel, a mãe ganhou outra casa e ambas as casas estão fechadas, estão alugadas. Essa são as denúncias, então não é muito correto que pessoas que não estão usando as casas e se não estão usando é porque não estão precisando. Deixa que essas casas sejam repassadas para as pessoas que precisam, já que acharam um lugar muito longe como Lago das Roseiras como, por exemplo, lá no Maria Peçanha, o conjunto Elisabete Nogueira, como outro conjunto que vai ser entregue também, que é um conjunto que é mais longe ainda, se acham que é longe porque não deixam as casas chegarem até as pessoas que precisam delas”, argumentou.
O vereador explicou que o que ele juntamente com os demais edis que compõem a comissão querem, é não é prejudicar a vida de ninguém, e sim levantar as denúncias, porque pessoas que estão se sentindo prejudicadas foram até a Casa Legislativa fazer as denúncias. “Essas pessoas não fizeram as denúncias somente no meu gabinete, e sim em todos os gabinetes e também tem denúncias que vereador facilitou para repassar casas para as pessoas. Nós queremos saber se isso realmente aconteceu, se isso é verdade, porque se o programa é do Governo Federal, com a participação da prefeitura no nosso Município, e que a finalidade era lidade social, não tem porque vereador intermediar. É verificar a situação da pessoa e eu acho que o correto não seria um sorteio, porque o sorteio corre o risco de repassarmos para quem precisa e para quem não precisa e sim seria uma sindicância bem feita. Acharia até que essa sindicância teria que ser feita por parte da Caixa Econômica Federal”, esclareceu.
Por fim, Edmar Rodrigues, em pronunciamento reforçou que a Comissão servirá para apurar os fatos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.