quarta-feira, 8 de Outubro de 2014 04:59h Lorena Silva

Congresso da UFSJ mostra pesquisas realizadas pelos alunos

Aproximadamente 150 pesquisas foram apresentadas na Universidade essa semana

Crédito: Vacina - NIAID-Flickr

 

Durante essa semana, o campus da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), em Divinópolis, também promoveu o XXI Seminário de Iniciação Científica (SIC), evento inserido no XII Congresso de Produção Científica e Acadêmica. Aproximadamente 150 projetos de pesquisa foram apresentados pelos alunos dos cursos de Bioquímica, Farmácia, Enfermagem e Medicina, na última segunda-feira e ontem.


Segundo a coordenadora do evento, Mariane Schnitzler, no primeiro dia de apresentações os trabalhos abrangeram as áreas de química e ciências farmacêuticas. Já ontem os trabalhos tiveram como eixo principal as ciências da saúde, com temas como a saúde mental, a saúde da mulher, da criança e do trabalhador.


Mariane pontua que, ao desenvolver as pesquisas, os alunos têm a oportunidade de sentir na prática aquilo que é visto na sala de aula. “O pessoal que trabalha com saúde da criança, por exemplo, desenvolve vários trabalhos envolvendo a comunidade. A gente leva os nossos alunos para postos de saúde e outras unidades de saúde, onde esses alunos podem recolher alguns dados, claro que com autorização das pessoas, para fazer a sua pesquisa”, conta.

 

 

 

TRANSPORTE DE VACINAS
Com o objetivo de avaliar o transporte de vacinas da Macro-Região de Divinópolis para os 55 municípios que pertencem a essa região, a aluna, Deborah Correia Duarte, do 7º período de Enfermagem, pesquisou como é realizada essa condução em relação à temperatura que as vacinas atingem durante o percurso.
“A gente aplicou um questionário com o responsável pelo transporte de vacina, perguntando se ele tinha capacitação para fazer esse transporte, se ele sabia a temperatura ideal de conservação das vacinas. E questões relacionadas também ao veículo, se ele era adequado ou não para o transporte, e relacionado também à caixa térmica utilizada para fazer o transporte da vacina”, explica a aluna.
Deborah pontua que a pesquisa foi uma forma de identificar se o programa de imunização está sendo realmente efetivo. “As vacinas podem evitar várias doenças. Porém, se elas não tiverem qualidade, essas doenças não estarão sendo evitadas. É importante para avaliar a efetividade desse programa de imunização.”

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.