quarta-feira, 2 de Dezembro de 2015 09:28h Atualizado em 2 de Dezembro de 2015 às 09:34h. Mariana Gonçalves

Consórcio TransOeste inclui mais de vinte novos veículos adaptados em sua frota

Durante a solenidade realizada na sede do Consórcio, no Manoel Valinhas, foi anunciada a entrega de novos ônibus adaptados para o transporte coletivo de Divinópolis

Participaram deste momento: o diretor do Consórcio, Felipe Carvalho, o Prefeito Vladimir Azevedo, o vice-prefeito Rodrigo Resende, o secretário municipal de trânsito e transportes, Simonides Quadros, representando a Casa Legislativa, o vereador Rodrigo Kaboja, representando a Adefom, o presidente Luciano Saldanha, além de funcionários e colaboradores do Consórcio.
Conforme destacou Felipe Carvalho, a frota de veículos coletivos passa agora a ter mais 24 novos carros adaptados para pessoas com deficiência. “A frota nova representa o alicerce para se ter qualidade no transporte coletivo, com ela, o concessionário atinge uma pontualidade maior nas viagens programadas e oferece mais conforto aos usuários, uma vez que os ônibus dão menos problemas nas ruas, porque são ônibus mais novos”, salienta.
O diretor do Consórcio disse ainda que, mesmo diante das dificuldades econômicas do país, que afetou de modo geral todos os setores da sociedade, os esforços empreendidos, principalmente pela TransOeste, no intuito de buscar melhorias para o serviço, têm tido grandes conquistas. “Em um ano de extrema dificuldade para o setor de transporte coletivo, tivemos mais de 10% de queda dos passageiros transportados, o crédito mais caro e curto do Governo Federal, o diesel, no preço mais alto da história que se tem registro, o Consórcio TransOeste manteve a sua política de renovação de frota, alcançando assim um título expressivo de uma das frotas mais novas do país, e das cidades que têm 100% da sua frota adaptada para pessoas com deficiência”, afirma Felipe.

ACESSIBILIDADE

Para o presidente da Adefom, Luciano Saldanha, o momento foi de agradecer, principalmente em nome dos deficientes representados por ele. A acessibilidade é um direito de todo o cidadão, no entanto, há diversos municípios brasileiros que não aplicam as leis de acessibilidade da forma como deve ser. “O transporte coletivo adaptado, para muitos, é apenas um transporte, mas para nós, para as mais de seis mil pessoas com deficiência que represento pela associação, vejo como dignidade. Sou uma pessoa que andei muito no transporte coletivo quando ainda não era adaptado, e para eu ter que descer para o Centro para resolver minhas coisas, sempre tinha que contar com um amigo, que me colocava no primeiro banco do ônibus, e colocava também a minha cadeira fechada perto de mim, de certa forma, era constrangedor, porque a cadeira atrapalha o pessoal a descer e muitos até achavam ruim e diziam assim; ‘Por que você não fica em casa?’, mas hoje, graças a Deus, tenho muito que agradecer e dizer que temos um sonho realizado termos 100% de transporte coletivo adaptado”, completa Luciano.

 

 

DISCUSSÃO TARIFARIA

O Consórcio e a Prefeitura vêm, ao longo desse ano, incentivando a população a fazer o uso do
Divipass (cartão com créditos exclusivos para uso no transporte coletivo), ao invés do dinheiro em espécie. Conforme o prefeito Vladimir Azevedo, além de ser uma opção segura para a população, concede ao usuário benefícios que o pagamento em dinheiro, por exemplo, não concede. “É até necessário que aquele usuário seja ele, o trabalhador, estudante ou mesmo o cidadão que utiliza diariamente o serviço tenha o seu bilhete, o seu cartão, isso será uma forma de termos na planilha o número de pessoas que usam o serviço, para que o mesmo seja gerenciado de uma melhor forma. Além disso, quem usa o serviço do cartão tem, em seu segundo deslocamento, 50% de tarifação e aos domingos e feriados, ele tem custo zero no segundo deslocamento. No cartão, as pessoas pagam R$2,85, e no dinheiro entregue ao cobrador, R$3, então é vantagem utilizar esse serviço de bilhetagem inteligente”, explica o prefeito.
Vladimir falou ainda sobre um projeto o qual segue em estudo, que prevê a redução da tarifa mediante a isenção de impostos que atingem diretamente o serviço. “Eu, como vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos, já estive em audiências públicas em Brasília representando a entidade, e em várias outras discussões, com um projeto chamado 'Rei Tupi', é um projeto que tramita na Câmara dos Deputados, de incentivo à desoneração do transporte coletivo e à transparência do serviço. Esse projeto propõe desonerar os impostos federais, estaduais e municipais. Infelizmente, por falta de vontade política e do Governo Federal, e a não votação no Congresso Nacional, isso ainda não aconteceu, mas nós vamos lutar por essa bandeira”, encerra Vladimir.
O diretor do Consórcio também falou sobre a tarifa executada pelo serviço no município. “A tarifa hoje em Belo Horizonte é de R$3,40, em Divinópolis é R$2,85 para todos aqueles que quiserem adquirir o cartão, e no dinheiro R$3, e quando as pessoas comparam Divinópolis com Belo Horizonte, mesmo lá, os impostos municipais sendo zero e aqui termos 5% de ISS e 4% de CGO, ainda assim temos a tarifa bem mais barata do que na capital”, pontuou Felipe.

 

 

Créditos: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.