sexta-feira, 27 de Novembro de 2015 09:28h Atualizado em 27 de Novembro de 2015 às 09:29h. Jotha Lee

Copasa diz que está adotando medidas para cumprir prazos contratuais para tratamento do esgoto

Assembleia realiza audiência pública para discutir atraso nas obras da ETE do Rio Itapecerica

A informação divulgada ontem pelo Gazeta do Oeste, com base em declarações do vice-prefeito Rodrigo Resende (PDT) de que a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Rio Itapecerica será iniciada somente em maio do ano que vem, provocou uma reação de surpresa e indignação do deputado estadual Fabiano Tolentino (PPS). “Isso é um absurdo”, reagiu.
Tolentino é autor de um requerimento já aprovado pela Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para realização de uma audiência pública exatamente para discutir o assunto. De acordo com a Comissão, a audiência vai debater a atuação da Copasa, tendo em vista o descumprimento do contrato de prestação de serviço de esgotamento sanitário em Divinópolis e o atraso no cronograma das obras da ETE Itapecerica.
Segundo Fabiano Tolentino, a audiência ainda nãot em data marcada, porém deverá ocorrer no início do ano que vem. “Esse ano as audiências públicas regionais foram suspensas para contenção de gastos, por isso deixamos para início do ano que vem exatamente para que o debate aconteça em Divinópolis, pois só assim o povo poderá participar e questionar a Assembleia sobre essa situação”, esclareceu.
O deputado disse ainda que é preciso pressionar a Copasa, pois o cidadão já está pagando pelo serviço. “Nós já estamos pagando, um valor caro que já vem na conta da Copasa, e automaticamente a gente gostaria de ver a obra da estação de tratamento, quanto à limpeza do Rio Itapecerica tão prometida. Cabe a nós cobrar e fiscalizar a empresa Copasa”, assegurou. Tolentino disse ainda que vai encaminhar um requerimento à Copasa exigindo que essas obras sejam iniciadas o mais rápido possível.

 

SILÊNCIO
A empresa que vai construir a ETE Itapecerica é a espanhola Acciona Água, vencedora da Parceria Público-Privada estabelecida pela Copasa, também vai operar todo o sistema durante 26 anos. Ontem, o Gazeta do Oeste não conseguiu falar com nenhum responsável pela empresa e causou estranheza a empresa não possuir uma assessoria de imprensa no Brasil. A atendente ficou surpresa com o pedido de informação feito pela reportagem, mostro completo desconhecimento sobre o assunto e disse que “tudo vem da Espanha”. Disse ainda que não havia ninguém na empresa que pudesse falar a respeito.  De acordo com o site da empresa, a sede da companhia fica em São Paulo.
Ainda segundo o site, a Acciona está instalada no Brasil desde 1996 e em 2009 assinou seu primeiro contrato de prestação de sérico com a Copasa para a assistência técnica na operação e manutenção da Estação Depuradora de Águas Residuais (EDAR) de Arrudas, na região de Sabará.  Pelo contrato assinado com a Copasa, a empresa será responsável pelo projeto, construção e implantação de duas estações de tratamento de águas residuais, 16 estações de bombeamento do sistema e a construção das redes de coletores de águas residuais da cidade, além da,operação e manutenção do sistema.
A Copasa respondeu ao questionamento feito pela reportagem através de uma curta nota enviada pela assessoria de imprensa, porém não falou sobre a previsão para início das obras. Não confirmou e nem desmentiu que a Acciona vá iniciar a construção da ETE Itapecerica somente em maio do ano que vem. “A empresa contratada [Acciona] apresentou o cronograma para realização das obras e, no momento, a Copasa está analisando-o visando reduzir os prazos previstos para execução das obras e início de operação de forma a atender os compromissos assumidos. O objeto do contrato é interceptar, transportar e tratar o esgoto das bacias dos rios Itapecerica e de Ermida. Para a bacia do Pará, o tratamento foi implantado e está em operação desde outubro de 2013”, afirmou a nota da companhia.

 

Créditos: Ascom/ALMG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.