sexta-feira, 9 de Agosto de 2013 06:22h

Copasa explica falta de água na cidade

Constantemente várias regiões do município tem registrado a interrupção no serviço de abastecimento de água da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa-MG). Ontem mais de 30 bairros ficaram com o serviço reduzido. A reportagem entrou em contato com

Constantemente várias regiões do município tem registrado a interrupção no serviço de abastecimento de água da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa-MG). Ontem mais de 30 bairros ficaram com o serviço reduzido.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da companhia que em nota informou que a interrupção no abastecimento de água especificamente durante a tarde de ontem se deu por uma obra de manutenção de energia elétrica feita pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). “A manutenção afetou uma das principais unidades de bombeamento e distribuição, porém, a companhia se certificou de avisar antecipadamente a população sobre essa interrupção temporária dos serviços”.
Quando a falta de água já está programada pela companhia, e é avisada com antecedência, a população fica sabendo inclusive o prazo em que esse serviço irá demorar a se restabelecer. Mas, em casos que por algum problema o abastecimento tem que ser desativado sem aviso prévio a assessoria da Copasa explica que não é possível estabelecer um prazo, pois existem vários fatores que interferem diretamente nessa questão. A assessoria explica: “a recuperação de um sistema de abastecimento de água depende fundamentalmente do tamanho e principalmente da topografia da região afetada: a recuperação das regiões baixas ocorre primeiro, até que o sistema se pressurize gradativamente e atinja as regiões mais altas. Alguns imóveis (partes baixas) tendem a ter recuperação quase imediata, enquanto outros (regiões mais altas) demandam mais tempo, dependendo de sua localização. Por isso, não é possível a definição de “prazo máximo”, ao contrário do que acontece num sistema de energia elétrica”.
A cidade de Divinópolis possui capacidade para a reserva de quase 23 milhões de litros de água nos 22 reservatórios espalhados pela cidade, volume este superior em mais de 25% ao exigido pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Mesmo a cidade tendo capacidade para armazenar uma grande quantidade de água, a população frequentemente denuncia a falta da mesma nos domicílios. Questionado sobre esse problema a companhia diz: “eventualmente há a necessidade da realização de manutenções emergenciais em diversos pontos da cidade, situação inerente a qualquer sistema de abastecimento de água como exemplo: quando ocorre o rompimento em parte da rede de distribuição, o serviço precisa ser interrompido para que seja feito o reparo. Conforme a resolução normativa da ARSAE-MG nº 003, Art. 113. O prestador de serviços, sempre que necessário, poderá interromper temporariamente a prestação de seus serviços, para manutenção de rede, execução de prolongamentos e outros serviços técnicos”.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.