quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 12:55h Erik Ulysses

Corpo de Bombeiros promove curso de salva-vidas para atuarem nos clubes da cidade

O Corpo de Bombeiros irá realizar a partir do dia 05 de novembro um curso para a formação de salva-vidas. O objetivo é que os participantes possam aprender técnicas de salvamento e  primeiros socorros, para que posteriormente possam trabalhar nos clubes da cidade, já que estes sofrem de escassez desses profissionais.

 


O capitão Joselito de Paula, comandante da Companhia de Prevenção e Vistoria do Corpo de Bombeiros, ressaltou a importância do treinamento, não somente para os clubes, mas também para o próprio Corpo de Bombeiros “É importante demais, para a própria instituição. Com a dificuldade de efetivo que a gente possui hoje, diretamente, às vezes nós estamos envolvidos nessa atividade de salva-vidas. Então, treinar pessoas, novos profissionais que estejam adequadamente capazes de fazer esse tipo de trabalho é muito importante para nós, para a sociedade e para os clubes” afirmou o comandante.

 

José Vítor Batista de Freitas, gerente do Estrela do Oeste Clube, contou que a ideia de fazer um curso desse tipo surgiu quando ele percebeu que os clubes da cidade não possuíam pessoas capacitadas realizarem salvamentos nas piscinas. “Tão logo eu comecei a trabalhar com essa atividade eu identifiquei essa situação que não é única do Estrela, é uma situação da cidade. E imediatamente fizemos contato com o comando do Corpo de Bombeiros de Divinópolis, naquela ocasião, com o tenente coronel Matos. E ele me prometeu viabilizar esse curso e hoje ele é uma realidade. Segunda-feira nós temos uma reunião lá no CT do Corpo de Bombeiros e dia 05 de novembro acontece a primeira turma contemplando 30 profissionais que vão estar a disposição no mercado. No caso específico nosso, nós vamos trabalhar com cinco profissionais do Estrela que vão ser treinados como salva-vidas” contou José Vitor.

 

O capitão Joselito destacou ainda que o curso será diferente, mais condizente com as realidades de um clube de lazer. “Existe um treinamento diferente, mais adequado. O que a gente chama de acidentes de raso, o mais comum de acontecer é em piscinas. Então há um tratamento específico na parte de primeiros socorros, manuseio do trauma, para poder evitar aí que o quadro da vítima se agrave. O tipo de trabalho específico de piscinas reduz algumas séries de preocupações diferentes de, por exemplo, grandes locais abertos como lagoas e rios. Então existe todo um tratamento específico, uma condição técnica específica, tanto da abordagem da vítima, quanto dos primeiros socorros que são estabelecidos” disse.

 


Ainda de acordo com o comandante foi feita uma divisão de vagas com os clubes da cidade e os ofícios solicitando os nomes que participarão do treinamento já foram enviados.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.