sexta-feira, 16 de Outubro de 2015 10:03h Atualizado em 16 de Outubro de 2015 às 10:06h. Rafael Camargos

Cresce a procura pelo diagnóstico do Câncer de Mama em Divinópolis.

Entre os anos de 2012 a 2014, foram diagnosticados cerca de 710 casos

Desde a década 90, o mês de outubro tem sido dedicado ao trabalho de conscientização sobre o câncer de mama, tipo mais letal entre as mulheres e que afeta, por ano, mais de 57 mil brasileiras.
Em Divinópolis e região, entre 2012 a 2014 foram diagnosticados cerca de 710 casos de Câncer de Mama, de acordo com a Associação de Combate ao Câncer Centro Oeste Minas (Acccon), destes casos, 203 são pacientes da Associação em Divinópolis.
Para a Enfermeira Coordenadora do Núcleo de Prevenção da Acccon, Sara Lemos, o trabalho desenvolvido no mês de outubro pela Acccon tem como objetivo informar, conscientizar e chamar a atenção das mulheres para o tratamento do câncer de mama, tendo assim, um diagnóstico mais rápido da doença. “A gente está descobrindo mais rápido, porque hoje a mulher está mais desenvolvida nessas campanhas que são feitas, por exemplo, o Outubro Rosa”, ela ainda diz que vários países estão envolvidos na campanha e que, por exemplo, nos Estados Unidos, há muitos mais casos de Câncer de Mama, porém, no país, eles fazem um trabalho de diagnóstico precoce da paciente.
“Os Estados Unidos têm muito mais câncer de mama que nós, só que lá, a mulher não se preocupa com isso, porque lá tem o diagnóstico precoce, e é isso que nós queremos” conclui.
Segundo a Coordenadora, aproximadamente 75% da nossa população usam o Sistema Único de Saúde (SUS), porém o sistema tem uma grande demanda de serviços e pouca oferta para a região, por isso, ela aconselha as mulheres a se dar a mamografia de presente. “O que a gente trabalha com a mulher e o que eu sempre falo em minhas palestras, é que as mulheres comecem a fazer sua poupança no começo do ano para alguns exames, e quando chegar seu aniversário, se dê presente seu exame de mamografia, seu exame preventivo”, segundo ainda, a Acccon não está focada em oferecer o exame de mamografia, pois este já é oferecido no SUS, que oferece exames que não tem no sistema como a Colonoscopia.

 

 

CAMINHADA PELA VIDA

Será realizado neste sábado (24), a partir das 9h da manhã, a 5° edição da Caminhada pela Vida, que tem como propósito chamar as mulheres do município a participar da campanha promovida.
A caminhada sairá da Praça do Santuário, passando pela Avenida 21 de Abril a caminho da Praça da Catedral.
No evento, serão desenvolvidas várias atividades e palestras em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), finalizando com um show do Grupo Elas.

 

 

DIAGNÓSTICO

Segundo o Ministério da Saúde, no primeiro semestre de 2015, foram realizadas em média 1,8 milhões de mamografias, sendo 1,1 milhão entre mulheres de 50 a 69 anos, a faixa de maior risco do câncer de mama.
Na comparação com os outros anos, o total de mamografias realizadas na faixa etária prioritária aumentou 61,9%, em 2010, foram cerca de 1,5 milhões e em 2014, o valor pulou para mais de 2,5 milhões. Já em números totais desses exames, o aumento foi de 41,8% entre 2010 e 2014.
Este ano, a campanha do Ministério da Saúde e o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”, tem como objetivo desconstruir os mitos associados à doença. Entre os alertas, a importância da detecção precoce, a partir da orientação do médico e da realização da mamografia.
Com o passar do tempo, o acesso a exames no Sistema Único de Saúde (SUS), assim como tratamento da doença, tem sido ampliados gradativamente. De janeiro a junho de 2015, foram realizadas 1,8 milhão de mamografias no país, 31% a mais que no mesmo período de 2010. O crescimento é ainda maior, de 51%, quando comparados aos exames realizados entre mulheres de 50 a 69 anos (faixa etária prioritária) nos primeiros semestres de 2010, foram mais de 700 mil exames contra 1 milhão em 2015.

 


Créditos: Rafael Camargos

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.