segunda-feira, 13 de Abril de 2015 11:43h

CTA realiza ação para tratar dependentes químicos contra sífilis

Uma equipe do Centro de Testagem e Aconselhamento da Secretaria de Saúde (Semusa) realizou mais uma etapa do trabalho que vem sendo desenvolvido junto aos dependentes químicos em Divinópolis

A ação foi realizada durante a tarde da última sexta-feira (10/04) na Praça Candidés, no bairro Niterói.

Um médico, enfermeira, técnica em enfermagem, psicóloga e agente social fizeram um trabalho de abordagem junto aos dependentes químicos, que frequentam essa região.

Por mais uma vez o público assistido passou por aconselhamento e realizaram testes para detectar doenças como hepatite, sífilis e AIDS. Cerca de 30 pessoas foram atendidas pela equipe do CTA que teve, ainda, a cobertura de uma ambulância no local.

“Orientamos estas pessoas sobre os riscos das doenças sexualmente transmissíveis e fizemos a avaliação conforme o Ministério da Saúde propõem. Fizemos os testes rápidos para diagnosticar as DST/Aids e em 15 minutos foi possível ter o resultado”, explica o médico Juliano Gonçalves.

O principal problema verificado pelo CTA entre os dependentes químicos é a existência de casos de sífilis. Além de fazer o teste para esta doença, e caso o resultado desse positivo, os usuários recebiam medicação no próprio local para iniciar o tratamento desta doença que vem se multiplicando não só entre os usuários mais entre algumas pessoas que frequentam o local em busca de relação sexual.

“Começamos o tratamento contra a sífilis e orientamos aos usuários dá necessidade de dar continuidade a ele e, consequentemente, realizar a avaliação laboratorial para comprovar que a pessoa foi tratada” diz Juliano. Outra preocupação dos profissionais do CTA é quanto ao número de mulheres grávidas. Elas também foram orientadas e tiveram o tratamento iniciado. “Mas é importante que dêem sequência para não contaminar os seus bebês”, enfatiza o médico.

Esta ação do CTA junto aos dependentes químicos terá continuidade. “O CTA está de portas abertas a receber essas pessoas, em sua sede, que queiram fazer a testagem e passar por aconselhamento. Mas iremos manter, também, este trabalho de campo indo de encontro aos dependentes químicos naqueles locais onde costumam circular”, comenta a coordenadora do CTA, Francisca Vanízia.

A coordenadora avaliou a ação como positiva a visita ao carrapateiro.  “Foi um trabalho muito importante e com um resultado positivo, gratificante para nós. A Semusa, por meio do CTA, tem se desdobrado para dar sua contribuição e incluir os dependentes químicos no sistema público de saúde”, completa.

Este trabalho junto aos usuários de drogas conta, ainda, com a participação da Secretaria de Desenvolvimento Social. O CTA funciona de segunda a sexta-feira, sempre no horário comercial, na Av. Getúlio Vargas no nº 550. O telefone de contato é o 3221-3735.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.