terça-feira, 6 de Outubro de 2015 10:01h Atualizado em 6 de Outubro de 2015 às 10:03h. Jotha Lee

Custeio da Câmara aumentará mais de R$ 700 mil no ano que vem

Orçamento do Legislativo é superior à Secretaria de Desenvolvimento Social

Já está tramitando na Câmara Municipal, o projeto de lei do Executivo que estabelece a Lei Orçamentária Anual para 2016. A proposta fixa a despesa e orça a receita do município em R$ 681,4 milhões e apresenta crescimento de 11,23%, ou R$ 68,8 milhões, em relação á previsão orçamentária para esse ano, estimada em R$ 612,5 milhões. Conforme já noticiado pelo Gazeta do Oeste, o maior orçamento de 2016 será da Secretaria Municipal de Saúde, cuja despesa deve chegar a R$ 223,6 milhões, que representam 32,82% do total da despesa prevista para o município no ano que vem. A Secretaria Municipal de Educação tem o segundo maior orçamento do município e a despesa prevista para o ano que vem é de R$ 110,9 milhões, ou 16,28% da previsão orçamentária do município.
De acordo com a proposta, o custeio da Câmara Municipal terá um acréscimo de 4,6% em relação a esse ano, o que representa R$ 710,9 mil a mais. Para a manutenção do Legislativo em 2016, o contribuinte vai desembolsar R$ 16,08 milhões contra R$ 15,3 milhões previstos para esse ano. Chama a atenção o fato de o orçamento da Câmara ser superior à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, que terá R$ 14,4 milhões. Os gastos com a Câmara ainda superaram outras pastas importantes, como a Cultura, que terá recursos da ordem de R$ 5,5 milhões, e a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, com orçamento de R$ 7,1 milhões.

 

PESSOAL
A maior parte do bolo orçamentário da Câmara Municipal é utilizada para despesas com pessoal, incluindo folha de pagamento e obrigações patronais. Do orçamento de R$ 15,3 milhões previsto para esse ano, R$ 7,1 milhões serão utilizados para pagamento de salários e vantagens dos servidores estáveis, enquanto R$ 1,3 milhão é o custo das obrigações patronais. Já para a mão de obra terceiriza, a Câmara destinará até o final do ano R$ 1,5 milhão somente para pagamento dos salários.
Para bancar a folha de pagamento dos 17 vereadores, o contribuinte vai desembolsar R$ 2,2 milhões até dezembro, incluindo o 13º salário. Além do salário de R$ 10,5 mensais, cada vereador ainda tem direito a uma série de benefícios, que, somados, elevam o custo de cada parlamentar a mais de R$ 30 mil ao mês.
A proposta orçamentária para 2016, embora com previsão de arrecadação de R$ 68 milhões a mais do que esse ano, indica que a Prefeitura vai continuar com dificuldades financeiras, já que 73% desse total estão comprometidos com folha de pagamento, juros, encargos da dívida, aluguel, água, luz e programas sociais, que deverão consumir R$ 497,7 milhões do que for arrecadado no ano que vem. 

 

Créditos: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.