quarta-feira, 21 de Outubro de 2015 08:59h Atualizado em 21 de Outubro de 2015 às 09:02h. Thais Fernandes

Customização de chupetas e mamadeiras é proibida pelo Inmetro

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia proibiu a customização de chupetas e mamadeiras, devido ao alto risco de sufocamento por ingestão das peças decorativas

As chupetas e mamadeiras customizadas com vários tipos de materiais foram proibidas, através de uma portaria publicada na última sexta-feira (16) no Diário Oficial da União pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
Devido à propensão para ingestão das peças usadas na decoração, o Inmetro decidiu através de uma portaria que a confecção, importação, distribuição e a comercialização de chupetas, mamadeiras e bicos customizados estão proibidas. Sendo assim, qualquer tipo de alteração das características originais do produto certificado, seja com fixação de pedrarias ou até mesmo pintura de qualquer parte do mesmo, é considerada perigosa para o uso infantil.
Desde a data de publicação, os estabelecimentos (lojas físicas e virtuais) onde forem encontradas irregularidades estarão sujeitos às penalidades previstas na lei, com multas que variam de R$ 100 a R$ 1,5 milhão.
Em Divinópolis, já não é possível encontrar o material nas lojas que os possuíam, uma vez que a portaria foi publicada. Em conversa com nossa reportagem, a designer de acessórios, Mayra Fernandes, informou que fabricava os bicos e até vendia bem na cidade. “Desde o começo, me preocupei bastante com a questão de colas e produtos não tóxicos, uma vez que o meu público alvo eram os pequeninos, que são muito sensíveis. Nunca tive qualquer problema com os meus produtos, em questão de pedras soltas ou qualquer coisa do gênero, uma vez que a cola usada é a base de água, fabricada para customização de produtos infantis”, comentou.
Mayra nos disse que achou errado da parte do Inmetro generalizar a proibição, pois além dela, outras pessoas fabricavam os “mimos” de forma correta com o objetivo de usá-los somente em eventos e para fotografias, mas ressaltou que a proibição foi necessária. “Várias mães faziam a customização de qualquer forma, muitas utilizavam de colas baratas, porém toxicas, para fazê-lo sem se preocupar com a saúde da criança que iria usar os mimos. Pensavam somente na beleza”.
Até o fechamento desta matéria, o IPEM (Instituto de Metrologia e Qualidade do Estado de Minas Gerais) não se manifestou sobre o assunto.

 

ATENÇÃO MAMÃES
A moda de personalizar chupetas com pequenos enfeites pode colocar em risco a vida do seu bebê, tanto por perigo de aspiração dos enfeites, quanto por poder ser fabricada com produtos tóxicos, prejudiciais à saúde.
Em caso de aspiração de objetos, não tente manobras em casa, somente em caso de sufocamento, é essencial o deslocamento da criança até um pronto-socorro para a retirada adequada do corpo estranho. Não tentar resolver o problema em casa, oferecendo alimentos para forçar o objeto a descer ou dando tapinhas nas costas, nem colocando a criança de ponta-cabeça para que ela “retorne”, isto pode acabar prejudicando ainda mais a situação.
Foto: bicos

 

Créditos: Thais Fernandes

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.