sexta-feira, 16 de Janeiro de 2015 09:55h Atualizado em 16 de Janeiro de 2015 às 09:57h. Mariana Gonçalves

Da internet para os palcos, Léo Nascimento faz turnê em Minas Gerais

De uma forma inesperada o servente de pedreiro Léo Nascimento viu sua vida mudar radicalmente

O que antes era sonho, se tornou realidade. A voz forte, parecida com a do sertanejo Eduardo Costa, conquistou fãs por diversas cidades do Brasil. Atualmente, Léo viaja país afora divulgando as músicas do seu primeiro CD. Em turnê pelo Estado, o cantor esteve em Divinópolis e concedeu entrevista à Gazeta do Oeste.
Era mais um dia comum de trabalho, porém, na saída do serviço, já no fim da tarde, Léo viu um violão pendurado em um boteco. “Eu não posso ver um violão que já peço para tocar e aquele me chamou a atenção por ser pequenininho. Sentei no chão e comecei a tocar. Um amigo perguntou se podia filmar. Eu deixei, claro”, comenta Léo.
No vídeo, o servente de pedreiro aparece bem à vontade, contando a história de um amor adolescente que acabou mal. A história inspirou a música “Tatuagem”, cantada por ele em seguida. O vídeo foi feito numa sexta e na segunda já tinha mais de 1 milhão de visualizações.
O primeiro CD está fechado em dez faixas e a gravação foi finalizada ano passado. “Tatuagem” é a principal música de trabalho e conta com a participação de Eduardo Costa. O sertanejo se encantou com o trabalho de Léo e apadrinhou o cantor. “Esse primeiro CD é mais para que o público ouça e curta ainda mais minhas músicas. Tem mais cinco faixas que queremos incluir nesse disco, mas isso ainda está sendo estudado”, conta Léo.

 

FAMA
De jeans, chinelo e camiseta, Léo Nascimento aparece nas imagens do vídeo que mudou sua vida sentado em uma calçada e impressiona com seu vozeirão. Menos de um mês depois ele, que é de Porto Velho (RO) foi parar na televisão. “Eu digo que para mim demorou um mês para que a minha ficha realmente caísse, foi uma grande emoção. Tive a oportunidade de voltar na minha terra e fiz até uma carreata onde eu morava. Isso é muito gostoso, vim para São Paulo e na minha volta a Rondônia foi tudo muito diferente, demoramos mais de uma hora para sairmos do aeroporto, as pessoas queriam me ver e tirar fotos comigo. E eu não imaginava que seria essa repercussão toda, pelo contrário, pensei que quando chegasse na minha cidade ninguém notaria, mas me surpreendi”, contou o sertanejo.
O sucesso veio assim, do nada, mas a luta de Léo por um espaço na música é antiga. Ou melhor, é de uma vida inteira. Leandro Berg – nome verdadeiro de Léo – começou a tocar violão aos sete anos de idade. Aos nove, já compunha. “Meu pai me conta que eu me interessei pelo violão com cinco anos de idade. Ele tocava violão e minha mãe acordeom. É coisa de família. Morávamos em um sítio e bem cedinho ligávamos o rádio para ouvir música sertaneja”, afirma Léo.

 

PADRINHO
“Durante minha participação no programa Domingo Legal a equipe preparou o meu encontro com o Eduardo Costa, mas, eu não sabia de nada. Então a produção do programa marcou comigo e nisso me levaram a um show, até o momento que estava no carro eu não sabia nem de quem era o show que eu iria, fui para o Porto Alegre, e chegando lá o local estava lotado, com mais de 10 mil pessoas. E ai escutei as pessoas gritando Eduardo Costa, nossa foi uma felicidade muito grande ainda mais porque num determinado momento do show o Eduardo me chamou no palco, e ai foi onde nos conhecemos”, conta Léo.

 

HUMILDADE
Chegar ao topo das paradas de sucesso não é fácil, por isso persistência e determinação são algumas das palavras de ordem do sertanejo. “O segredo do sucesso é humildade, respeito e valorização. Você saber valorizar quem está do seu lado. Isso são coisas que fazem parte do sucesso e se a pessoa não tiver, infelizmente, nunca vai chegar no seu objetivo. Sei que tem pessoas que estão a mais de 20 anos tentando e não conseguem, para esses cantores eu digo que continuem tentando, continuem fazendo por onde e não desistam, porque a sua hora ainda vai chegar. O que é seu, Deus irá te proporcionar conquistar, claro que a fé também nunca pode faltar, ela tem que ser elemento essencial na vida do ser humano”, finaliza Léo.

 

Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.