terça-feira, 2 de Junho de 2015 13:47h Atualizado em 2 de Junho de 2015 às 13:50h. Jotha Lee

Decisão da Anac determina nova remarcação de data para início dos voos comerciais

Azul confirma que vai cumprir o protocolo de intenções com o governo mineiro

A novela sobre os voos comerciais ligando Divinópolis a Campinas, que se arrasta há seis meses, ganha mais um capítulo após nova decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que barrou a última data estabelecida para início das operações, marcada para 22 de junho. A Azul Linhas Aéreas, companhia que vai operar a ligação entre Divinópolis e a cidade paulista, havia solicitado a data de 22 de junho para início das atividades, após o último adiamento, que inviabilizou a data de 1º de junho.
Em nota, a assessoria de imprensa da Anac informou que a data de 22 de junho foi inviabilizada, pois as restrições ao aeroporto apontadas pela Agência não foram totalmente sanadas. Diante da decisão, ontem a Azul protocolou novo pedido para início dos voos, com previsão para início das operações no dia 29 de junho. A companhia informou que recebeu a garantia de que o aeroporto estará em condições e que as restrições pendentes serão sanadas. O pedido já está sob análise da Anac, que deve agilizar o parecer a pedido da companhia aérea.
No dia 18 de dezembro do ano passado, o presidente da Azul, José Mário Caprioli dos Santos, e o então governador Alberto Pinto Coelho, assinaram o protocolo de intenções para ampliar a participação da companhia no mercado mineiro, incluindo Divinópolis na rota da companhia. Ontem, a assessoria de imprensa garantiu que a Azul vai cumprir o protocolo e que não há nenhuma possibilidade de Divinópolis perder a ligação aérea em função dos atrasos na adequação do aeroporto. “A Azul Linhas Aéreas confirma a remarcação da data para início dos voos entre Divinópolis e Campinas para 29 de junho, informando que a medida foi motivada após decisão da Anac, que impôs restrições para início das operações para o dia 22 de junho”, disse a companhia.
PREFEITURA
O Aeroporto de Divinópolis será o 11º servido pela Azul em Minas Gerais. A empresa já atua em Belo Horizonte (Pampulha e Confins), Uberaba, Uberlândia, Montes Claros, Juiz de Fora, Araxá, Patos de Minas, Governador Valadares e Ipatinga. Atualmente, são 240 pousos e decolagens diários da empresa no Estado. O Aeroporto Internacional Tancredo Neves é a segunda maior base em número de operações e destinos servidos pela Azul, com mais de 70 voos diários.
A ligação aérea entre Divinópolis e Campinas vem se arrastando desde dezembro do ano passado e oito datas já foram marcadas para início das operações, adiadas por restrições relacionadas à adequação do aeroporto. No fim do mês passado, o caminhão da brigada de incêndio e o aparelho detector de metais chegaram a Divinópolis. Seria a última exigência a ser cumprida pela Prefeitura para o início efetivo da ligação aérea.
De sua parte, a Prefeitura garante que cumpriu todas as exigências impostas pela Anac. “Cumprimos todas as etapas no processo de adequação do aeroporto. Também cumprimos tudo que foi exigido da sala de embarque, criação de canal de inspeção que já está em fase de montagem [detector de metais], adequação da sala de bagagens e o setor de incêndio era a última etapa a ser cumprida, o que aconteceu com a chegada do caminhão”, foi o que garantiu o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo César dos Santos.
No dia 30 de março, o prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), acompanhado do vice, Rodrigo Resende (PDT), e do secretário de Desenvolvimento Econômico, fez uma vistoria nas melhorias realizadas pela Prefeitura no aeroporto. Ele verificou o salão de espera, banheiros, salas de embarque e desembarque e toda a nova infraestrutura dada à estação de passageiros, além de assistir ao primeiro teste feito pelo caminhão da brigada de incêndio. Na ocasião, ele reafirmou que todas as obrigações da Prefeitura estavam cumpridas.

 

Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.