quarta-feira, 1 de Julho de 2015 10:57h Atualizado em 1 de Julho de 2015 às 10:59h. Pollyanna Martins

Decreto proíbe circulação de mais de vinte linhas intermunicipais no Centro de Divinópolis

Decreto entra em vigor hoje, e estabelece que “os ônibus interestaduais e intermunicipais, com percurso acima de 40 km, terão como ponto de embarque e desembarque de passageiros o Terminal Rodoviário”

Entra em vigor hoje o decreto n° 11.837, que proíbe a circulação de mais de vinte linhas intermunicipais no centro de Divinópolis. O decreto foi publicado no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, no dia 23 de junho, e estabelece que “os ônibus interestaduais e intermunicipais com percurso acima de 40 km, terão como ponto de embarque e desembarque de passageiros o Terminal Rodoviário.”
Com este decreto, mais de vinte cidades serão atingidas, entre elas: Arcos, Bom Despacho, Carmo da Mata, Itaúna, Lagoa da Prata, Nova Serrana, Pará de Minas, Oliveira, São João Del Rei, Santo Antônio do Monte e Santo Antônio do Amparo. O decreto estabelece ainda que apenas as linhas de Itapecerica e Carmo do Cajuru poderão passar pelo Centro da cidade.
Ficou definido ainda, no artigo quarto do decreto, inciso um, o trajeto que os ônibus devem fazer quando estiverem saindo de Divinópolis. “Em se tratando de saída deste município: Terminal Rodoviário/Contorno Terminal Rodoviário/Avenida JK/MG 050”. Quanto à entrada do município, ficou determinado no inciso dois que “em se tratando de chegada ao Município: acesso pela área Central da cidade, sendo regulamentado por portaria da Settrans [Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes], de acordo com a localidade de acesso.”
No artigo sexto, ficou definido: “as linhas intermunicipais com trajeto pela área central da cidade de Divinópolis, regulamentado por portaria da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes - Settrans, sendo vetado o embarque e desembarque fora dos locais definidos e identificados pelas placas autorizativas.”

REVOLTA
O decreto causou revolta durante a reunião da Câmara Municipal. O vereador Anderson Saleme (PR) apresentou várias alegações, entre elas a queda do comércio no Centro de Divinópolis, uma vez que os passageiros consomem produtos ao esperar os ônibus, e o curto prazo para a adequação das empresas que fazem as 27 cidades que foram atingidas. O presidente da câmara, Rodrigo Kaboja (PSL), disse que irá pedir ao prefeito, Vladimir Azevedo, para adiar a data de vigor do decreto.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.