segunda-feira, 6 de Abril de 2015 09:39h Atualizado em 6 de Abril de 2015 às 09:49h. Mariana Gonçalves

Divinópolis recebe a visita do “pagador de promessa” de Rondônia

O trabalhador rural de Porto Velho (RO) Antônio Pereira, de 69 anos, orgulha-se de dizer que tem viajado o Brasil inteiro e alguns países do Mercosul a pé, para pagar uma promessa feita na década de 1990

Em peregrinação pelo Estado de Minas Gerais, o romeiro chegou a Divinópolis e pretende passar a Sexta-Feira da Paixão no Santuário de Nossa Senhora Aparecida.
A história de Antônio tem emocionado diversas pessoas, das mais diferentes regiões do país. Conhecido como “pagador de promessa”, o romeiro diz que irá encerrar sua jornada em setembro desse ano, voltando definitivamente para Rondônia. Ele estava com 43 anos de idade quando começou sua peregrinação Brasil afora. Ao todo, foram 24 anos caminhando sozinho de uma cidade à outra. A esposa e o casal de filhos ficaram em Porto Velho. Desde o dia 15 de janeiro de 1991, Antônio fala com a família somente por telefone.


Acometido de um câncer e desenganado pelos médicos, Antônio prometeu a Nossa Senhora de Aparecida que, se fosse curado, faria um grande trajeto pelo país sem utilizar qualquer tipo de veículo. O que parecia ser impossível aconteceu. Em questão de meses o trabalhador rural ficou totalmente curado da doença.
Segundo ele, sua fé, somada com a de seus familiares, possibilitou que a santa atendesse seu pedido. “Tive um tumor na garganta e ele afetou minha visão também, quase já não enxergava mais. O médico, na época, disse que não tinha mais recursos, pediu à minha família que me levasse para casa, para que lá eu passasse os meus últimos dias de vida. Quando chegamos à fazenda, minha esposa tinha que continuar os afazeres de casa, eu então fui ajudar, precisava buscar alguns gravetos. Fui fazer isso, mas na volta passei pela linha de trem e fui atropelado, meu corpo foi arremessado em um barranco, fiquei com o corpo todo engessado”, conta o peregrino.
Depois do acidente, Antônio ficou internado por quase um ano. Os médicos lamentaram por não poder salvar a vida do simples homem do campo. “Me vi numa situação muito difícil, mas mesmo assim não desisti. Pedi à padroeira do Brasil, a minha santa de Nossa Senhora de Aparecida, que se eu fosse curado do câncer e do acidente iria andar durante 24 anos pelas cidades do país, sempre com destino a Aparecida do Norte, e ela me atendeu, me curou”, pontua Antônio. Ele conta que o milagre surpreendeu a todos, principalmente os médicos, que após a realização dos exames clínicos confirmaram o desaparecimento do tumor.

PEREGRINAÇÃO
Foram mais de 30 mil cidades visitadas pelo peregrino durante esses últimos 24 anos de caminhada. “Já passei por Cuiabá, Campo Grande, Paraná, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, entre outros lugares. Estive também no Uruguai, Argentina e Bolívia”, afirma o romeiro.
Um detalhe interessante é que Antônio guarda o número exato de pares de tênis gastos nessa aventura. “Sessenta e seis pares de tênis, 31 bonés e 24 mochilas pequenas. Isso tudo devo às pessoas que durante o meu caminho ajudaram, principalmente as paróquias cristãs”, acrescenta. O idoso vive pelo país com doações.
Ele diz que em cada cidade procura uma forma de sobreviver. Como ele mesmo fala, a caridade do povo o ajuda muito. “Sou um romeiro, tem abrigos que às vezes me acolhem, mas quando não consigo, eu fico nas rodoviárias ou em postos de combustíveis. Tenho saudade da minha família, do meu caminhãozinho, da terra que meu pai me deixou. Em casa tenho tudo para viver, mas a minha missão é essa, cumprir minha promessa para Nossa Senhora”, encerra o peregrino.

 

Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.