sexta-feira, 30 de Agosto de 2013 06:04h Atualizado em 30 de Agosto de 2013 às 06:08h. Daniel Michelini

Divinópolis registra crescimento populacional de 6.25%

Segundo novo censo, município possui 226.345 habitantes, treze mil a mais do que o último estudo feito. Oportunidades de emprego e Universidade Federal contribuíram para o índice.

Mais oportunidades de emprego, melhor qualidade de vida e opções de estudo. Estes fatores contribuem diretamente para o crescimento físico e populacional de uma cidade. As grandes metrópoles tem, em média, um aumento populacional anual de aproximadamente 40.000 pessoas. Em Belo Horizonte, por exemplo, o censo publicado ontem (29) demonstrou um aumento de 104.024 habitantes em relação ao último balanço, em 2010. Já São Paulo registrou o maior índice de crescimento nos últimos três anos. De acordo com o censo, a capital paulista obteve um aumento de 568.373 na sua população. Os dados são referentes ao dia 1° de julho, segundo publicação no Diário Oficial da União.

 


Entretanto, o rápido crescimento populacional não é um privilégio apenas das grandes metrópoles do país. Pólos regionais também registram um aumento significativo quanto ao número de habitantes. E Divinópolis está inserida neste quesito. No último triênio, a cidade “acolheu” mais de 13 mil novos moradores, totalizando 226.345 habitantes.
O crescimento se deve a algumas conquistas, como a filial da Universidade Federal de São João Del Rei, que atraiu estudantes de diversas cidades do estado, além das outras faculdades aqui existentes e oportunidades de emprego, uma vez que Divinópolis continua sendo denominada a ‘Capital Mineira da Moda’.

 


Contudo, o rápido crescimento veio em uma hora não tão benéfica para a cidade. Segundo Paulo Sérgio dos Prazeres, secretário municipal de Desenvolvimento Social, a cidade não está preparada para tamanho crescimento populacional, mas que isto eleva os trabalhos feitos pelos órgãos públicos: “Esse aumento nos dá a sustentação necessária para entendermos o que a prefeitura vem realizando em diversos pontos da cidade, especialmente obras, corrigindo erros feitos em anos anteriores, como loteamentos sem infraestrutura”, pontuou.

 


Além disso, Paulo afirma que o município luta para construir dois CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) na cidade: “Essas obras se juntam aos CMEI’s (Centro Municipal de Educação Infantil) já estruturados e que estão em funcionamento, além dos que deverão ser inaugurados no ano que vem”, destacou, lembrando que todas são obras de reestruturação, fazendo com que a cidade tente acolher, da melhor forma possível, as pessoas que estão vindo para cá.

 


Uma amostra do crescimento populacional são os conjuntos habitacionais. De acordo com Paulo dos Prazeres, estas são as obras mais importantes conquistadas pelo município nos últimos anos: “Há um grande esforço de apoio para as comunidades, como o Copacabana e Vila das Roseiras”. Desta maneira, o secretário garante que a cidade está se preparando muito bem para o futuro: “O crescimento não está desordenado. O Brasil inteiro vem sofrendo com uma urbanização exagerada, com um grande número de imigrantes se deslocando em pouco espaço de tempo”, lembrou
Para ele, a tendência é que as cidades mais organizadas, como Divinópolis, recebam mais pessoas da região, pelo fato de ser mais estruturada e ter mais oportunidades de emprego e estudo.


PAÍS


Entre os estados brasileiros, o mais populoso continua sendo São Paulo, que conta com 43,6 milhões de residentes, confirmando o domínio populacional da região sudeste do país, uma vez que Minas Gerais tem 20,5 milhões de habitantes e Rio de Janeiro ocupa a terceira posição, com 16,3 milhões de habitantes. Os outros mais populosos são Bahia, com 15 milhões de pessoas e o Rio Grande do Sul, que registra 11,1 milhões. O estado menos populoso é Roraima, com 488 mil habitantes.

 


A cidade com o menor índice populacional, de acordo com o novo estudo, está localizada em Minas Gerais. Serra da Saudade conta com apenas 825 habitantes, nove a menos do que Borá (SP), que ocupava a posição de menor cidade do país desde 1991, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Ainda de acordo com o estudo, o Brasil possui, atualmente, 201.032.714 habitantes, sete milhões a mais do que em julho de 2012.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.