sexta-feira, 24 de Abril de 2015 10:50h Atualizado em 24 de Abril de 2015 às 11:06h. Jotha Lee

Divinópolis teve uma das maiores explosões demográficas do país nos últimos 25 anos

A expansão urbana e demográfica de Divinópolis nos últimos 25 anos pode ser apontada como um dos principais fatores para os muitos problemas estruturais que o município enfrenta hoje

De 1991 a 2014, a população da cidade teve um crescimento de 50,95%, um dos maiores índices do país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesse período, os governos municipais tiveram pouca ou quase nenhuma preocupação em preparar a infraestrutura urbana para essa explosão demográfica que obrigou, também, à desordenada expansão urbana.
Na última década do século passado ainda foram verificadas situações que comprometeram o ordenamento urbano, como por exemplo, a aprovação de loteamentos sem critérios, apenas com o intuito de beneficiar empreendedores. Foram criados bairros que hoje carecem de toda infraestrutura, onde a população convive com ruas sem pavimentação, falta da rede de esgoto e em alguns locais sem água e energia elétrica. Escola e saúde estão distantes, transporte coletivo deficitário, insegurança, violência, tráfico de drogas, entre outras mazelas da falta de planejamento.
O professor de arquitetura e urbanista Aristides Salgado, que ocupou a Prefeitura por dois mandatos, foi um dos poucos prefeitos a se preocupar com a questão urbana, especialmente a mobilidade. No seu mandato, apesar de muito contestado, foi o responsável pela transferência do terminal rodoviário do Centro para o bairro Bom Pastor.
Hoje é difícil imaginar um terminal de passageiros localizado em plena região central. “Fui muito criticado quando tomei essa medida, fecharam o terminal e o transformaram em funerária quando deixei o governo, mas hoje alguém consegue imaginar ônibus entrando e saindo de uma região como a Avenida Getúlio Vargas?”, questiona.

 

EXPLOSÃO
Ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponibilizou em seu site a evolução da população nos municípios brasileiros. A explosão demográfica em Divinópolis, conforme mostram os números do Instituto, se intensificou a partir da década de 1980, quando Divinópolis ainda contabilizava menos de 100 mil habitantes. Em 1991, a população atingiu 151.462 moradores e fechou 2014 com 228.643 habitantes, configurando crescimento de 50,95% nos últimos 25 anos.
O crescimento populacional veio de forma desordenada e o município não se planejou para isso. Faltam moradias, já há favelização em várias regiões, cresce o número de pessoas sem emprego e os serviços públicos não conseguem atender à demanda.
O trânsito já apresenta as mesmas dificuldades das grandes metrópoles e já foi considerado o pior do Brasil, de acordo com a ‘Revista 4 Rodas’, especialista no assunto. Mais de 130 mil veículos circulam pela cidade, com congestionamentos a qualquer hora do dia.
“O trânsito tem que ser sempre pensado com antecedência. Quando implantei mão única nas ruas do Centro eu sabia que aquela medida teria pouca duração, pois a cidade vinha crescendo muito rápido”, afirma Aristides Salgado, o primeiro prefeito a quebrar o tabu que havia com relação ao sistema de mão única no trânsito na região Central.
Comerciantes não aceitavam essa medida sob o argumento de que haveria muitos prejuízos. Aristides enfrentou reações contrárias e adotou mão única nas ruas Goiás e Pernambuco e nas Avenidas 1° de Junho e Getúlio Vargas, no início da década de 1990. Hoje o sistema carece de medidas arrojadas como essa, para minimizar os muitos problemas de mobilidade de veículos e pedestres.

 

ANO POPULAÇÃO EVOLUÇÃO
1991 151.462 -
1996 170.753 13,15%
2000 183.962 7,73%
2007 209.921 14,11%
2010 213.016 1,47%
2014 228.643 7,33%
 

 

Fonte: IBGE
Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.