sábado, 21 de Março de 2015 08:45h Mariana Gonçalves

Divinopolitano participa de Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu

O divinopolitano Ruan Tiago Alvarenga embarcou ontem para o Rio de Janeiro, aonde irá se preparar para participar na semana que vem do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu

O evento está sendo organizado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu, a competição intitulada Rio Fall International será realizado nos dias 28 e 29.
Com apenas 17 anos de idade, Ruan tem em seu currículo diversos campeonatos conquistados. “Fui campeão mineiro 11 anos direto sem perder, vice-campeão brasileiro, e campeão da seletiva para Abu Dhabi”, conta.
Segundo o atleta, a preparação para a competição de semana que vem está sendo intensa, todos os esforços são, principalmente, para buscar mais um título. “Sinto-me muito bem, estou levando não só o nome da minha cidade, como também, da minha equipe. É uma honra poder viver do que amo, que é a luta”, destaca.
Ruan já sabe o que quer para o futuro. “Penso em ser campeão mundial na faixa preta”, diz.
Para quem quer iniciar nesse segmento esportivo, o jovem atleta dá as dicas. “Procurar uma boa academia, porque hoje em dia, todo esporte tem pessoas usando de má fé, então sugiro que as pessoas pesquisem sobre quem é o professor, e levem a sério os treinamentos”, encerra o lutador.

APOIO

Para o professor de Jiu-Jitsu e pai do Ruan, Iram Brasileiro de Alvarenga, ver o filho se destacando nesse meio esportivo, é sempre motivo de orgulho. Foi no tatame da academia de Iram, que Ruan iniciou sua formação no Jiu-Jitsu. Como treinador, o pai não facilita para o filho, mas Iram sabe bem até onde pode chegar, no que se refere à exigência profissional. Inclusive, Ruan está indo sozinho para disputa no Rio, isso segundo o pai, é uma forma de deixá-lo mais tranquilo. “Tento não colocar pressão nele, por exemplo, noto que quando estou no ginásio, ele fica mais nervoso, então quero deixar ele livre”, explica Iram.
Esse método de deixar o filho agir por si próprio não vale somente para o esporte, essa é uma responsabilidade que, se depender do pai, valerá como lição de vida para o futuro. “Tem que ter confiança, o atleta precisa de personalidade e responsabilidade. Têm pessoas que me perguntam o porquê de eu o deixar ir sozinho, viajar desde os 15 anos, respondo que mais tarde, o Ruan irá responder por seus próprios atos, mas isso deve começar já de agora. Por exemplo, ele está indo para o Rio para treinar, isso é uma responsabilidade dele, eu não tenho que estar perto, vigiando para que ele não faça nada errado. Nós, enquanto família, confiamos nele e esperamos não ser decepcionados”, completa Iram.

FIQUE POR DENTRO

O Jiu-Jitsu originou-se por volta do século XV no Japão, uma característica fundamental nessa prática é a necessidade de domínio e equilíbrio do corpo, acredita-se que essa concepção surgiu a partir da observação de um médico Japonês, Shirobei Akiyama, que percebeu que os galhos mais fortes de uma árvore não suportam o peso da neve por muito tempo, ao contrário dos galhos mais fracos e finos, que por serem flexíveis, fazem com que a neve escorra, a partir dessa análise, o médico formulou mais de trezentos golpes.

 

Crédito: Arquivo Pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.