quinta-feira, 14 de Maio de 2015 13:17h

Domingos Sávio cobrará dos governos federal e estadual recursos para o HSJD

O deputado federal Domingos Sávio esteve no Hospital São João de Deus (HSJD)

O convite para uma prestação de contas partiu do Superintendente da instituição, Dr. Afrânio Emílio e o Promotor Sérgio Gildin. Na ocasião, foram apresentados os dados do balanço financeiro, patrimonial e assistencial do hospital, comparativo dos anos de 2012, 2013 e 2014 em que a empresa Dictum assumiu a gestão da instituição. Com essa visita, o deputado federal Domingos Sávio procura tomar conhecimento diário da situação do hospital para cobrar uma resposta mais eficaz e mais rápida por parte dos governos estadual e federal.
O superintendente e o promotor apresentaram a evolução dos números, evolução dos atendimentos e o montante da dívida da instituição. Dr. Afrânio ressaltou que mesmo em meio a crise, os números de atendimento aos pacientes subiram consideravelmente, principalmente do SUS, e que os serviços foram mantidos. Segundo ele, há uma constante renegociação da dívida e credores para que o hospital não cesse suas atividades. Domingos Sávio relatou a gravidade e a perda incalculável para a região do comprometimento do maior hospital da macrorregião. "O trabalho desenvolvido pela empresa contratada e acompanhada de perto pelo Ministério Público deixa números absolutamente claros de que houve uma melhoria na gestão, mas infelizmente não foi uma melhoria suficiente para resolver o problema em razão da falta de recursos financeiros. Enquanto deputado federal aloquei recursos para o hospital e consegui as verbas para a construção do hospital público regional, que trabalhará ao lado dele para desafogar diversas demandas que hoje o sobrecarregam, mas é preciso que os governos federais e estaduais cumpram sua parcela de responsabilidade, o que não está acontecendo", revelou o deputado.
O balanço apresentado pelos gestores apontou que o hospital continua deficitário e tem uma série de componentes que contribuem para isso. Domingos Sávio elencou o que considera mais prejudicial à instituição. "Quando iniciou-se o processo de intervenção com uma gestão mais transparente, o hospital já estava com um nível de endividamento muito elevado. Devido ao custo financeiro mensal, por mais eficiente que seja a gestão, o resultado não é capaz de pagar o custo financeiro e a dívida aumenta mês a mês, pois o juro pago pela dívida é muito pesado e muito alto.  Outro ponto relevante é que o Governo Federal, até o dia de hoje, não ajudou em absolutamente nada, não fez o credenciamento dos leitos de UTI e não pagou os serviços prestados pelo hospital, a ponto de o hospital ter aberto novos leitos e depois teve que fechar pois estavam funcionando sem receber. Aliado a isso, existem outros serviços que são chamados de extra-teto, que são procedimentos essenciais e não podem parar, que o hospital recebeu autorização e guias para realizar e, agora, o Estado acumula uma dívida de milhões de reais e se recusa a pagar ao hospital o serviço já efetuado".
De acordo com o deputado, o Hospital São João de Deus está em uma situação extremamente delicada e ainda estão sugando dele. Exemplo disso é quando o Governo Federal e o Governo do Estado deixam de pagar pelos serviços prestados a eles por meio do Sistema único de Saúde - SUS. "Isso prova que os governos federal e estadual, além de não contribuírem com o hospital, estão agravando a situação do mesmo", ponderou.
Nos próximos dias, o deputado solicitará reuniões tanto na Secretaria de Estado da Saúde, quanto no Ministério da Saúde para cobrar uma resposta mais adequada, haja visto que o HSJD é essencial para a região. "Mesmo em crise, o HSJD continua sendo o hospital que mais salva vidas. Seja pelo SUS, plano de saúde ou particular, ele continua sendo o hospital referência para toda a região. Muitas vezes as pessoas se lembram de algum falecimento, mas é preciso pensar o importante papel deste hospital que, diariamente, salva a vida de centenas de pessoas do centro oeste mineiro", ressaltou.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.