sexta-feira, 22 de Julho de 2011 09:33h Atualizado em 22 de Julho de 2011 às 09:37h. Sarah Rodrigues

Entrega do Hospital Público é prorrogada

Mesmo com atrasos, HP deverá ser entregue no Centenário, porém ao final de 2012

O Hospital Público Regional é uma das obras realizadas pela atual administração mais aguardadas pela população divinopolitana. Com 134 leitos iniciais a construção resolveria a princípio o problema da falta de leitos no município, que segundo dados do Ministério Público, estão defasados em pelo menos 56 leitos.Segundo o engenheiro da Secretaria Municipal de saúde (Semusa), Alexandre Lacerda Guimarães a obra sofreu muitos atrasos, principalmente devido as chuvas, mas grande parte das instalações deverá ser entregue no final de 2012.


Segundo ele a parte de estrutura está sendo montada, como colocação de várias lajes e concretagem, a parte de internação já está no escoramento da laje de cobertura.


Ele enfatizou que a construção já passou as fases de fundação, devido ao clima seco, o tempo favorece uma agilidade maior, e o ritmo acelerado. Cerca de 200 homens trabalham no local.


Alexandre contou que o sistema de drenagem pluvial está sendo feito, mas o forte é a estruturação. Mesmo com o ritmo forte o engenheiro avaliou que a obra deverá ser entregue possivelmente no final de 2012, mas que a equipe trabalha para o fechamento da estrutura para que no período de chuvas o trabalho seja intenso dentro do Hospital.


Mesmo com atrasos na obra o prefeito Vladimir Azevedo afirma que a construção deverá ser entregue no Centenário de Divinópolis. “A nossa intenção é cumprir todo o cronograma, estamos trabalhando para isso, capitalizando recursos neste sentido e a nossa previsão é de que houve um atraso, por questão do período chuvoso que coincidiu com o período de aterro e desaterro”.


Apesar do descrédito de muitos, Azevedo acredita que a obra, um compromisso de sua administração será um presente para os 100 anos de Divinópolis. “É possível sim, inaugurar no ano que vem, apesar do tamanho da obra, do desafio de equipar, mas estamos caminhando neste sentido”, avaliou.


A obra custará R$ 47.830.050,00 e a maior parte destes recursos será liberada pelo governo do Estado. A obra deverá ser concluída em 24 meses. O terreno tem cerca de 70 mil metros quadrados, e de acordo com o projeto inicial o hospital terá 134 leitos, com a capacidade de expansão para até 500.

 

GESTÃO


Segundo o prefeito a gestão do Hospital Público será municipal. “Mas a nossa intenção é compartilhar isso com uma ONG especializada em gestão hospitalar, todo hospital público no país hoje que funciona bem, funciona desta maneira com gestão indireta do poder concedente”.


Para Vladimir as organizações serão as principais parceiras da gestão do HP.“Neste contexto, as chamadas organizações sociais é que vão ser nossa parceira para gerir o hospital no seu dia a dia e nós cobraremos resultados e pagaremos os procedimentos. Inclusive já discutimos junto ao Conselho Municipal de Saúde e foi aprovado por unanimidade esta forma de gestão”, comentou o prefeito.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.