sexta-feira, 10 de Julho de 2015 11:06h Atualizado em 10 de Julho de 2015 às 11:39h. Pollyanna Martins

Esgoto clandestino cai em mina no bairro Quintino e causa mau cheiro no bairro

Moradora conta que o problema existe há dez anos

Um esgoto clandestino tira o sono dos moradores do bairro Quintino, em Divinópolis, há dez anos. O esgoto cai em uma mina que há anos abasteceu as casas do bairro e, com isso, gera um mau cheiro. A moradora Ana Paula Freitas conta que a comunidade já pediu uma solução tanto para a Prefeitura de Divinópolis quanto para a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), após a mesma ter assinado o contrato de concessão do esgoto da cidade. “A gente já pediu para resolver desde quando era a Prefeitura que tomava conta da rede de esgoto da cidade, e eles nunca vieram aqui para arrumar”, reclama.
A mina nasce na Rua Vicente Alves e continua em uma área verde na Rua Geraldo Francisco Vicente, onde o esgoto cai. Segundo Ana Paula, além da ligação clandestina há também uma parte da rede de esgoto que está arrebentada na Rua Domingos Rosa, que só agravou o problema. “O esgoto arrebentou na rua, aí ele escorre a céu aberto, cai na mina, atravessa por debaixo da rodovia, e cai em um pasto do outro lado”, conta. A moradora cobra ainda um posicionamento da Companhia, para descobrir de onde vem a ligação clandestina. “A Copasa tem que procurar saber de onde é aquele cano, porque a gente tem percebido que as nossas autoridades não estão se preocupando com coisas que afetam diretamente a saúde pública.”
O mau cheiro emitido pelo esgoto é sentido logo na entrada do bairro. A moradora ressalta que os moradores estão pagando pela taxa de esgoto, porém a Companhia não oferece um serviço adequado. “É um odor insuportável, quem chega ao Quintino acha que está em um ‘chiqueiro’. O mau cheiro não está tão forte agora porque estamos no frio, mas quando é no verão é insuportável. Já que a gente está pagando por um tratamento de esgoto, e não temos o tratamento, compete a Copasa vir olhar esta situação e arrumar”, solicita.

 

DESCOBERTA
Ana Paula filmou a situação e disponibilizou o vídeo em uma rede social, na esperança de que o problema seja solucionado o quanto antes. Conforme a moradora, estudantes da universidade Funedi-Uemg estiveram no local na manhã de ontem a fim de realizar um estudo com a água da mina, mas foram surpreendidos com a situação que o local se encontra. “Vieram dois estudantes da Uemg coletar a água da mina para poder fazer análises, junto com o Geraldo Oliveira, da nascente Bela Vista, e chegando lá se depararam com a situação, e ficaram horrorizados com a situação. Aquela mina abastecia o Quintino em 1987”, descreve.

 

COPASA
Em nota, a Companhia informou que “não consta nenhuma reclamação referente à ligação clandestina e vazamento de esgoto na Rua Domingos Rosa, no bairro Quintino, em Divinópolis”. Mas acrescentou através de sua assessoria de imprensa que técnicos da empresa vão ao local hoje para averiguar a situação.

Crédito: Arquivo pessoal/Ana Paula Freitas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.