sexta-feira, 24 de Julho de 2015 10:52h Pollyanna Martins

Esgoto clandestino transborda em casa do bairro Nova Fortaleza II

A moradora teve que furar o muro para que o esgoto não inundasse a casa

Uma família vive momentos de total descaso nos últimos três meses. A design de moda Luzia Grazielle do Reis mora com o filho de 4 anos em uma casa no bairro Nova Fortaleza II, mas são reféns do esgoto que brota no quintal da residência. O problema começou há três meses, quando o esgoto começou a sair de duas caixas de gordura da casa e invadiu o quintal. Existem vários protocolos de reclamações da design de moda, mas o problema persiste.
Ficar dentro da casa é impossível devido ao mau cheiro, que toma conta do local. Segundo Luzia, o esgoto ligado clandestinamente por outros moradores é o responsável pelo transtorno que ela vive hoje. A dona da casa conta que limpa a casa e a mantém fechada, mas mesmo assim os odores ficam no imóvel. “Eu fecho a casa toda, deixo fechada durante todo o dia, mas não tem jeito, o mau cheiro continua. Eu limpo a casa e vou para a casa da minha irmã”, relata.
O bairro tem o sistema de fossa e o esgoto que está instalado não foi ligado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Mesmo assim, vários moradores ligaram as suas casas à rede de esgoto. Como a saída para o esgoto não é adequada, os dejetos estão saindo pela casa da design de moda. A funcionária pública Osleina Aparecida dos Reis é irmã de Luzia e conta que a irmã já procurou a Copasa e a Prefeitura Divinópolis, porém não houve uma solução para o problema. “Nós já fomos na Copasa, na Prefeitura, ligamos na Secretaria de Obras, já nos encaminharam para a Vigilância Sanitária, e não tem resposta”, detalha.
Conforme Osleina, funcionários da Prefeitura já estiveram no local para verificar a situação. O caminhão que limpa fossas esteve na casa, realizou a limpeza, mas não solucionou o problema. A funcionária pública diz que a sua maior preocupação é com a saúde da irmã e do sobrinho. “O problema aqui é o esgoto clandestino, não é a fossa. A minha irmã tem um filho de 4 anos e convive com esse mau cheiro. No final de semana ela fica mais na minha casa por proteção mesmo, porque nós temos medo de infecção de alguma outra doença”, fala.

 

RECLAMAÇÕES
Com medo de que o quintal inundasse de esgoto, a dona da casa fez um buraco no muro para dar evasão à água suja. O esgoto então escorre pelas ruas do bairro. A situação se agrava a cada dia, pois a água contaminada já começou a escorrer em outros pontos do bairro. “A gente tem que limpar o excesso de esgoto às vezes para poder descer e não acumular. Já está afetando o outro lado da rua, e o mau cheiro fica na rua toda. Os vizinhos estão reclamando, ninguém suporta mais o mau cheiro. Tem inquilino que quer entregar a casa, porque não suporta ficar em casa. A gente quer uma solução urgente”, solicita.

 

PREFEITURA
A Prefeitura de Divinópolis informou, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que tem consciência do problema e que está estudando propostas para que o problema seja resolvido. Nos próximos dias, a Usina de Projetos irá anunciar quais medidas serão tomadas.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.