sexta-feira, 25 de Outubro de 2013 08:01h Atualizado em 25 de Outubro de 2013 às 12:10h.

Espetáculo conta quantas Minas existem

O Projeto Fazendo Arte divulgou nesta quinta-feira (24/10) a sinopse do espetáculo “Contando Minas Gerais”. A peça teatral é uma interface entre a música, a dança, as artes plásticas, a capoeira e o teatro. Atores bailarinos, músicos e capoeiristas contar

O Projeto Fazendo Arte divulgou nesta quinta-feira (24/10) a sinopse do espetáculo “Contando Minas Gerais”. A peça teatral é uma interface entre a música, a dança, as artes plásticas, a capoeira e o teatro. Atores bailarinos, músicos e capoeiristas contarão quantas Minas existem. O espetáculo está agendado para 28 e 29 de novembro às 19h30, no Teatro Municipal Usina Gravatá. De acordo com a sinopse, as personagens Matilde e Chica, que acabam de chegar de um passeio de Maria Fumaça, sairão do plano da realidade e conhecerão uma amiga imaginária, através do sonho. “Elas são convidadas para se lançarem no curioso mundo da cultura mineira e descobrirão que Minas são muitas. Mostrarão que além de uma diversidade de destinos turísticos e históricos, há uma infinidade de lugares pitorescos e aprazíveis. Manifestações culturais típicas e artísticas que revelarão preciosos talentos em diversas áreas”, afirmou a diretora artística Lene Pereira. A diretora disse que intelectuais, escritores, esportistas e personalidades importantes para Minas Gerais serão homenageadas no espetáculo. Lene também destaca que a apresentação terá homenagens à cozinha mineira. Além de Lene Pereira, a direção geral é de Lenir de Castro e a auxiliar de direção é Aryanne Corrêa. O espetáculo conta com participação dos 12 arte-educadores do projeto. Na musicalização participam o canto popular e percussão com Madelon De Lellis e na flauta Anderson Silva, além de Sérgio de Castro e Rubens Mimoso no violão e Samira Lima na viola caipira. Na dança, o hip-hop do arte-educador Quadrado e o balé/jazz iniciante com Wallace Melo. Daniel Hermógenes nas danças folclóricas e Soraia Oliveira no jazz avançado também se apresentam. A contação de história é coordenada pela arte-educadora Cabral, e nas artes plásticas Claudia Oliveira. Lene Pereira e Aryanne Corrêa são as responsáveis pela parte de teatro. O projeto é realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e tem patrocínio do Grupo Gerdau, com gestão de Acesa e apoio da Secretaria Municipal de Cultura (Semc).

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.