terça-feira, 23 de Junho de 2015 09:44h Atualizado em 23 de Junho de 2015 às 09:45h. Pollyanna Martins

Estelionatários aplicam golpe usando o nome do vice-prefeito, Rodrigo Resende

Prefeitura esclareceu que medidas legais já foram tomadas para as devidas investigações

A Prefeitura de Divinópolis emitiu uma nota ontem alertando a população sobre a ação de estelionatários, que estão aplicando golpes pelo telefone e usam o nome do vice-prefeito, Rodrigo Resende. Segundo Rodrigo Resende, a aplicação do golpe começou na sexta-feira, quando os bandidos ligaram na agência do Banco do Brasil se passando por ele e solicitaram a transferência de um valor da conta do vice-prefeito para a conta bancária de duas mulheres.
Os estelionatários conversaram com o gerente e disseram que Rodrigo estava em um leilão da Receita Federal, em Belo Horizonte, comprando equipamentos para a Prefeitura. Rodrigo conta que os criminosos não tiveram sucesso na primeira tentativa, pois a sua esposa trabalha na agência, e o gerente desconfiado da ligação foi até ela para esclarecer o fato. “Os estelionatários disseram que precisavam que tirassem dinheiro da minha conta e passassem para a conta de duas mulheres que eram advogadas, para elas poderem liberar os materiais na Receita Federal. O gerente desconfiou, foi até a minha esposa e ela me ligou, eu neguei tudo”, relata.
Após conversar com Rodrigo, sua esposa recebeu a ligação de uma empresária de Divinópolis. De acordo com o vice-prefeito, a mulher informou que um homem havia ligado em seu estabelecimento se passando por Resende e solicitou um depósito em uma conta bancária. Além da empresária, os estelionatários tentaram aplicar o golpe em outras empresas da cidade. “O pessoal da Braulino me ligou, da Trancid, mas infelizmente duas pessoas caíram no golpe, não me ligaram e depositaram o dinheiro”, lamenta.
Uma vítima depositou R$ 12,5 mil e a outra R$ 4.841 nas contas que os estelionatários indicavam para depósito. O vice-prefeito informou que o menor valor conseguiu ser recuperado, pois os criminosos ainda não haviam sacado no banco. Conforme Rodrigo, uma conta é da Caixa Econômica Federal, em Contagem, e a outra é no Banco do Brasil, porém o vice-prefeito não soube informar a origem, mas repassou que são no nome de mulheres que tiveram seus documentos roubados. “Os bandidos não conseguiram sacar os R$ 4.841 na sexta-feira. Como eu fui a Policia Civil fazer o Boletim de Ocorrência, eles emitiram uma notificação para a Caixa Econômica Federal, para eles não liberarem o dinheiro que estava na conta, que este dinheiro era fruto de estelionato. Os R$ 12,5 mil eles [criminosos] conseguiram sacar na sexta-feira mesmo”, conta.

 

NOTA
Em nota, a Prefeitura informou que “o gabinete do vice-prefeito tomou medidas legais, entre elas o registro do caso junto à Delegacia de Polícia Civil para devidas investigações”. Segundo o vice-prefeito, a delegada Adrienne Lopes de Oliveira é a responsável pelo caso. Rodrigo faz ainda um alerta à população. “Fica o alerta para a população, eu nunca mexi com leilão, nunca comprei nada em leilão. As pessoas que ligarem em meu nome é mentira, não sou eu que estou ligando”, orienta.

 

Crédito: Arquivo GO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.