segunda-feira, 8 de Junho de 2015 12:59h

Estudantes plantam de mudas do cerrado no Parque da Ilha

Para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) estudantes das Escolas Municipais Otávio Olímpio de Oliveira e João Gontijo da Fonseca irão plantar dez mudas de frutos nativos do cerrado, no Parque Ecológico Prefeito Dr. Sebastião Gomes Guimarães (Parque da Ilha), em 10 de junho, às 8 horas. O evento é realizado em parceria com Secretaria Municipal de Educação (Semed), pela equipe da Associação Sala Verde Frei Paulino (ASVFP) da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (Seplam), o Instituto  Estadual de Florestas (IEF) e a Polícia Militar de Meio Ambiente.

O professor de Ciências Biológicas, Ricardo Luís de Oliveira, esclarece que o bioma cerrado foi escolhido especialmente por ser considerado o “berço das águas”. “Sem o cerrado não haveria água no mundo”, disse.  “É no Cerrado que a nascente das três maiores bacias da América do Sul (Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata) está, o que resulta em elevado potencial aqüífero e grande biodiversidade. A realidade hoje é cruel; apenas 25%  do bioma cerrado brasileiro ainda está preservado”, explicou Oliveira.

O professor explicou que unidades de conservação de área significativa deveriam ser criadas e mantidas nas regiões de domínio do cerrado para garantir a preservação do maior número de espécies da flora do bioma e da fauna a esta associada.

Como uma das medidas mitigadoras da devastação ambiental, a Semed apresentou aos diretores de escolas o projeto pedagógico “Um Olhar para o Cerrado”. O objetivo é que as unidades de ensino da  rede  municipal desenvolvam trabalhos de educação ambiental capazes de envolver a  comunidade escolar (funcionários, alunos e famílias).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.