sábado, 25 de Abril de 2015 06:05h

Evento marca doação de acervo documental para o Centro de Memória da UEMG Unidade Divinópolis

Na última sexta-feira, dia 17 de abril, o Centro de Memória da UEMG Unidade Divinópolis recebeu um grande acervo documental sobre a história de Divinópolis, doado pelo Sr. José Valério, engenheiro aposentado da Rede Mineira de Viação – RMV

Com documentação que remonta a 1890, José Valério organizou seus documentos por décadas. No total, são dez volumes que serão digitalizados pelo Centro de Memória e publicados no Portal da Memória do Centro-Oeste Mineiro (www.emredes.org.br), além de serem organizados em formato de livro.
A solenidade de entrega do acervo aconteceu no auditório da UEMG Unidade Divinópolis e, além de professores e alunos da instituição, participaram familiares e amigos de José Valério, entre outros convidados.
Quem abriu o evento foi o professor Gilson Soares, presidente da Fundação Educacional de Divinópolis (FUNEDI). Na ocasião, ele destacou a importância de iniciativas como esta para que a memória seja preservada e disse que aquele era um momento histórico para o Centro de Memória e para Divinópolis: “Com o avanço da modernidade, esqueceu-se de preservar a memória”. Ele ressaltou ainda o trabalho da professora Batistina Maria de Sousa Corgozinho, falecida em 2013 e que foi precursora nas pesquisas e publicações sobre a memória e história de Divinópolis e da região do Centro-Oeste Mineiro, além de idealizadora e fundadora do Centro de Memória.
O interessante deste acervo é que ele foi construído ao longo do tempo. Durante 40 anos, José Valério recolheu e preservou informações e documentos sobre diferentes aspectos do município. Através deste trabalho minucioso, ele conseguiu juntar uma parte significativa da história de Divinópolis que agora estará disponível na web.
Em sua explanação, José Valério agradeceu as várias pessoas que, de acordo com ele, o auxiliaram na elaboração das pesquisas e na organização do acervo. “A história é uma espécie de mural, em que você coloca informações e que nunca se completa”, destacou. Ele ainda leu uma crônica, produzida para as netas, em que conta a história de Divinópolis, utilizando personagens lúdicos que representam o trem de ferro, o rio, as pedras; é uma bela metáfora sobre a fundação da cidade do Divino e dos inúmeros tropeiros e viajantes que pousaram nestas terras.
“Muitos anos depois, um príncipe encantado, viajando em uma impressionante carruagem de fogo, levando riquezas por onde passava, por ordem do Rei, chegou perto do castelo e ali fez um ponto de parada e de descanso para reanimar suas forças, para prosseguir sua penosa e longa viagem rumo aos desconhecidos, bravios, ermos e perigosos sertões do reino.” Este é um trecho da crônica que diz respeito à chegada do trem de ferro na cidade e faz parte do primeiro volume organizado por José Valério, “Das origens, até 1890 – Divinópolis, dádiva divina”.
Finalizando o evento, a historiadora e professora Flávia Lemos Mota de Azevedo, coordenadora do Centro de Memória, agradeceu pela doação e ressaltou o trabalho meticuloso realizado por José Valério. Através da leitura e da análise do material por ele organizado, compreendemos melhor o percurso do município e o seu presente, “a partir da história passada, contada, entende-se o presente e também o futuro”, uma das preocupações do historiador. ”A forma com que ele [José Valério] guardou a história é rara. A importância deste acervo é grande não só para Divinópolis, mas para toda a região”, destacou. Ela ainda explicou que, a partir de agora, todos os documentos doados serão digitalizados, catalogados e publicizados através do portal EmRedes, que já disponibiliza o acervo do Centro de Memória desde sua institucionalização, em 2005.
Após as falas, ao fim do evento, foi assinado o termo de cessão do material.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.