sábado, 16 de Janeiro de 2016 03:33h JOTHA LEE

Ex-secretário de Meio Ambiente aguarda nomeação para a Diretoria Administrativa da Uemg

Demetrius emplaca mais um indicado no governo do Estado

Em meio à uma crise provocada pelo atraso na nomeação de professores e recente denúncia de uma dívida de R$ 23 milhões, dos quais R$ 18 milhões em direitos trabalhistas, o professor Humberto Pozzolini, ex-secretário municipal de Meio Ambiente, vai assumir nos próximos dias a direção administrativa da Fundação Educacional de Divinópolis (Funedi), tornando-se o homem forte da Uemg na cidade. Ontem ele confirmou que foi convidado para a função e está aguardando tão somente a publicação de sua nomeação para assumir o cargo, hoje ocupado pelo professor Gilson Soares.
Pozzolini foi professor na unidade por mais de seis anos e acredita que conhece suficientemente a instituição para fazer uma boa gestão. “Tenho certeza que podemos contribuir para uma melhor qualidade do ensino daquela instituição, por ter sido professor lá por mais de seis anos e conhecedor dos pontos fracos e oportunidades perante o mercado universitário e do conhecimento”, afirmou. “Estamos aguardando a nomeação. Caso ocorra, estaremos empenhado em tentar minimizar os possíveis problemas hoje existentes, objetivando a qualidade do ensino, a satisfação do corpo docente e discente em fazer parte de uma instituição como a Uemg”, acrescentou.
A vaga, inicialmente, seria do ex-prefeito Demetrius Pereira, que pela segunda vez recusou um cargo oferecido pelo governador Fernando Pimentel, já que está disposto a disputar a sucessão municipal em outubro. Como teria que se desincompatibilizar em março, não seria viável assumir o cargo por pouco mais de dois meses. Humberto Pozzolini foi a segunda indicação de Demetrius Pereira para o governo do estado. A primeira foi a do coronel da reserva, Paulo Adriano Cunha, que no final do ano passado assumiu a coordenação do governo na região. O cargo também fora, inicialmente, oferecido a Demetrius Pereira, que recusou pelo mesmo motivo.

 


CRISE
A crise pela falta de professores continua, com a suspensão de muitos serviços necessários para a preparação do ano letivo. Com o fim dos contratos dos professores em 31 de dezembro, o Campus da Uemg em Divinópolis está sem nenhum professor, já que não houve a renovação automática,  conforme um acordo firmado em 2014, quando a Uemg absorveu a Funedi. De acordo com o professor Alexandre Simões, porta-voz dos professores da instituição, a expectativa de todos era que a renovação seria automática, o que foi barrado pela Casa Civil.
Conforme o Gazeta do Oeste publicou com exclusividade em sua edição de quinta-feira, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) informou que já foi publicado um edital, com as inscrições já abertas para o processo seletivo que vai definir o quadro de professores do campus Divinópolis. A Seplag informou, ainda, que novo edital será publicado na semana que vem com o mesmo objetivo. A Secretaria esclareceu que as aulas na unidade da Uemg em Divinópolis serão retomadas em março e o semestre letivo transcorrerá normalmente, inclusive para os estudantes aprovados no último vestibular. 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.