segunda-feira, 8 de Outubro de 2012 08:52h Mariana Gonçalves

Falta de gasolina nos postos Petrobras não irá afetar o município

O problema não corre risco de afetar as bombas de combustível em Divinópolis, conforme explica João Henrique, “ Eu acredito que não há perigo de chegar a faltar nessa região."

Desde a última segunda-feira (1), algumas cidades de Minas Gerais enfrentam problemas de falta de  abastecimento nos postos de combustível. Na região centro oeste, a capital mineira e região metropolitana registraram um racionamento no combustível.  O fato causou um grande transtorno não só aos consumidores como também aos revendedores.

 


Segundo o Secretário Executivo do MinasPetro, João Henrique Romañach, “o desabastecimento é decorrente de uma adequação de produto na base da companhia petrolífera”disse.

 

O problema não corre risco de afetar as bombas de combustível em Divinópolis, conforme explica João Henrique, “ Eu acredito que não há perigo de chegar a faltar nessa região. E caso aconteça, o que é pouco provável, será um ou outro posto que terá o problema de faltar ou mesmo uma redução de combustível, mas, eu acredito que não”afirma.

 

Por meio do MinasPetro, a Petrobras Distribuidora informou que está trabalhando para regularizar no menor tempo possível o abastecimento de combustível nas regiões onde o fornecimento teve que ser interrompido.

 

Através de nota o MinasPetro, também informou que lamenta o prejuízo dos revendedores. “Infelizmente isso afeta o revendedor que acaba que inviabiliza o negocio dele. Mas, com as medidas que já estão sendo tomadas pela companhia, na semana que vem já começa a normalizar todo o serviço”.

 

O gerente de um posto de combustível em Divinópolis, Ronaldo Valério, conta que não imagina como seria a falta do combustível na cidade “seria um caos total, porque Divinópolis está com veículos demais. Aqui no posto mesmo em algumas ocasiões se formam filas para abastecer. Então não seria bom se faltasse não”conclui.

 

REAJUSTES DE PREÇO

 

Só este ano de 2012, o preço do combustível variou de valor três vezes consecutivas, no último reajuste os consumidores não sofreram tanto o impacto no bolso, como os anteriores. Porém a possibilidade de ter um quarto reajuste, ainda não foi descartada. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, há possibilidade de aumento no preço da gasolina ainda este ano, mas a decisão ainda não está tomada.
As ações da Petrobras estão subindo na Bovespa e recuperando parte do prejuízo que a estatal teve nos últimos meses. 

 


O aumento em relação à atualização de valores ainda não está sendo discutida pelo Ministério da Fazenda e pelo Ministério de Minas e Energia. Por meio de comunicado nacional, o Ministério da Fazenda disse que a orientação do governo é para aguardar um pouco antes  de realizar esse aumento para que não haja de impacto na inflação.

 


O aumento registrado no último reajuste do preço da gasolina não chegou ao bolso do consumidor, em função da redução da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico,Cide. Mas ele não compensa a defasagem que a Petrobras tem em relação aos preços internacionais. Esta diferença foi apontada como um dos motivos, mas não o principal, para o prejuízo registrado pela estatal no último trimestre, o primeiro em mais de 13 anos de mercado.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.