terça-feira, 28 de Abril de 2015 10:09h Atualizado em 28 de Abril de 2015 às 10:15h. Mariana Gonçalves

Famílias com benefício bloqueado têm até junho para regularizar situação cadastral

As famílias que estão cadastradas no programa Bolsa Família e não estejam recebendo o benefício, têm até o dia 25 de junho para comparecer à Unidade II da Secretaria de Desenvolvimento Social (Semds)

As famílias que estão cadastradas no programa Bolsa Família e não estejam recebendo o benefício, têm até o dia 25 de junho para comparecer à Unidade II da Secretaria de Desenvolvimento Social (Semds) – que fica na Rua São Paulo n°114, no Centro – e realizar a atualização cadastral do serviço Cadastro Único (CadÚnico).

É importante que as pessoas que estejam inscritas no programa e ainda permanecem em situação de vulnerabilidade social façam a atualização de dados. Isso porque após junho, essas famílias terão definitivamente seus nomes excluídos da relação de cadastros do Ministério de Desenvolvimento Social, encerrando de vez o seu acesso ao benefício.

Mesmo que a família tenha atingido renda superior à preconizada pelo programa, a Secretaria de Desenvolvimento Social precisa ser informada. Assim o município terá um novo mapeamento sobre quantas famílias são atingidas pelo programa na cidade e quantas delas já melhoraram de vida.

De acordo com a diretora de Habitação, Liliane Rios Guimarães, a lista com o nome das pessoas que precisam atualizar seus dados está disponível para consulta na Prefeitura de Divinópolis, e nas Unidades I e II da Semds.

 

DOCUMENTOS

O documento necessário para a atualização de dados para o responsável pela família (titular do cartão Bolsa Família) é o Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Título de Eleitor. Já os responsáveis por famílias indígenas e quilombolas podem apresentar qualquer outro documento de identificação de validade nacional.
 
Os demais membros da família devem apresentar pelo menos um dos seguintes documentos: Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (Rani), CPF, Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Título de Eleitor.

Além da documentação obrigatória, as famílias podem levar outros documentos que ajudem a melhorar a qualidade das informações do Cadastro, como comprovante de residência, conta de energia elétrica, comprovante de matrícula das crianças e adolescentes na escola e carteia de Trabalho e Previdência Social.

 

PROGRESSO

Segundo a assessoria de comunicação do Governo de Minas Gerais, 49 mil beneficiários do Bolsa Família melhoraram de vida. O ciclo de revisão cadastral 2014 do Bolsa Família mostrou que as pessoas de baixa renda continuam melhorando de vida no país.

Das 102,6 mil famílias mineiras beneficiárias que deviam participar do processo de atualização de dados do Cadastro Único no estado, 49 mil informaram um aumento de renda. Em todo o país, 436,2 mil famílias tiveram a mesma situação registrada.

Desse total em Minas Gerais, 28,2 mil famílias superaram o valor mensal de R$ 154 por pessoa, que dá direito ao programa. Isto significa que elas saíram da pobreza e, por isso, não receberão mais o benefício, de R$ 170 em média. As demais 20,8 mil declararam ganhos acima da faixa da extrema pobreza, caracterizada por renda mensal de até R$ 77 por pessoa da família. Nesse caso, começarão a receber um valor menor do Bolsa Família.

 

Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.