segunda-feira, 7 de Dezembro de 2015 10:38h

Farmácia Clinica reduz perdas de medicamentos

O Centro de Especialidades Médicas (CEM), parceria entre a Prefeitura de Divinópolis e a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)

O Centro de Especialidades Médicas (CEM), parceria entre a Prefeitura de Divinópolis e a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), além do apoio do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Vale do Itapecerica (Cisvi) iniciou sua fase de testes com vários tipos de atendimentos e uma atividade inédita. Trata-se da Farmácia Clínica com o objetivo de garantir excelência no atendimento aos usuários de medicamentos.

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), o serviço não se refere à distribuição de medicamentos. O procedimento é realizado na Farmácia Central e nas Unidades de Saúde com a farmacinha. A Farmácia Clínica racionaliza o uso dos medicamentos, reduz perdas por vencimentos e minimizar a quantidade de consultas ao setor de emergência devido aos problemas farmacoterapêuticos com possibilidade serem evitados.

 

Trata-se de um serviço inovador dentro da rede publica de saúde de Divinópolis e utilizará, como fundamentação, grandes e inovadores modelos de atendimento farmacêutico. “Serão utilizadas as contribuições de experiências exitosas internacionais e nacionais, tais como, o serviço implantado em Minessota (Estados Unidos), Granada (Espanha) e nos diferentes e pioneiros municípios brasileiros, como Curitiba-PR, Recife-PE, Lagoa Santa-MG, Betim-MG e Salto Grande-MG”, explica o professor e médico, André de Oliveira Baldoni um dos responsáveis pelo serviço no CEM.

 

Devem fazer uso do novo serviço os pacientes que utilizam vários medicamentos simultaneamente (principalmente cinco ou mais medicamentos diferentes por dia). Pacientes com problemas de adesão aos medicamentos, por qualquer motivo. Aquelas pessoas que precisam ir a duas ou mais farmácias diferentes, todos os meses, a fim de adquirir seu tratamento completo. Pacientes que foram internados uma ou mais vezes em hospital nos últimos seis meses. Pacientes com prescrições de medicamentos por dois ou mais médicos diferentes no último ano. Usuários que tratam várias doenças ou problemas de saúde simultaneamente com medicamentos e pacientes com dificuldade de uso de medicamentos e dispositivos, como insulina e dispositivos inalatórios para tratamento de asma.

 

Economia

De acordo com médico André de Oliveira Baldoni, além das vantagens técnicas e humanísticas, a Farmácia Clínica contribui para economia junto aos cofres públicos. Os medicamentos de doenças crônicas, segundo o médico, é a maior causa de ação judicial contra o estado e município. “As principais justificativas as solicitações é a falta de controle glicêmico adequado com as insulinas disponíveis no SUS (Insulinas regular e NPH). No entanto, percebe-se que em muitos destes casos de judicialização, o problema é a falta de conhecimento dos pacientes sobre o uso correto destes medicamentos e sobre a forma racional de manejar e controlar os níveis glicêmicos. Dessa forma, o serviço de Farmácia Clínica poderá contribuir com a efetividade das ações em saúde, reduzir as consultas médicas de emergência e reduzir as internações por condições sensíveis à Atenção Primária”, argumenta André Baldoni.


Profissionais envolvidos

A Farmácia Clínica é fruto de uma parceria entre professores do curso de farmácia da UFSJ e a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Atuam neste serviço uma farmacêutica da Semusa, com especialização na área, com o apoio de professores com mestrado e doutorado na área de farmácia clínica e farmacoepidemiologia da UFSJ.

O Centro de Especialidades Médicas, localizado na Avenida Getúlio Vargas no antigo Pronto-Socorro, atenderá a população de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h. Os encaminhamentos para o Centro de Especialidades Médicas Semusa/UFSJ serão feitos por meio das unidades de saúde.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.