terça-feira, 3 de Março de 2015 10:47h Atualizado em 3 de Março de 2015 às 10:48h. Lorena Silva

FCA inutiliza locomotivas e máquinas viram esconderijo para usuários de drogas

Segundo a Ferrovia, já existe processo para a retirada das máquinas do local

Cinco locomotivas da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), que foram inutilizadas e estão paradas próximo à Avenida do Contorno – na altura da ponte do bairro Porto Velho -, têm servido como locais de esconderijo para usuários de drogas e também como espaços para que moradores de rua passem a noite. A denúncia foi realizada por alguns moradores, que vêem a situação como uma afronta à segurança do local.
Segundo um morador, que preferiu não ser identificado, as locomotivas foram deixadas nesse espaço há mais de um ano e, há aproximadamente seis meses, o problema com os usuários de drogas se intensificou. “Como minha esposa é doente, se de madrugada eu preciso sair para ir à farmácia, a gente tem que passar no meio deles. É demais o perigo que corremos aqui, porque nunca sabemos o que essas pessoas podem fazer”, argumenta.
Além das máquinas que tiveram diversas peças destruídas e se transformaram em um entulho às margens da avenida, parte da tela que antes separava os trilhos da rua também foi danificada. “Eu já pedi à FCA para levar essas locomotivas para dentro, porque eles têm muitos lugares para guardá-las. Mas ninguém toma decisão de nada. A gente fala com um não adianta nada, outra vez você fala com outro sobre o assunto e eles fogem. Não dão uma resposta”, diz o morador.

 

FERROVIA
Em nota, a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) esclareceu que já intensificou as rondas da equipe de segurança patrimonial na área do pátio da empresa em Divinópolis, onde estão estacionadas as cinco locomotivas em questão. Além disso, a companhia também está providenciando a instalação de placas nas portas e janelas das estruturas, o que impedirá o acesso ao interior das máquinas.
“A FCA ainda esclarece que as cinco locomotivas eram patrimônio da antiga Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) e foram arrendadas à empresa. Já existem processos formais em andamento junto à União que irão possibilitar a retirada dessas máquinas do pátio de Divinópolis”, explica o comunicado.

 

 

Crédito: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.