sexta-feira, 21 de Junho de 2013 07:04h Luiz Felipe Enes

FIEMG realiza palestra voltada para empresários da Indústria

A Federação das Indústrias de Minas Gerais, (FIEMG), realizou durante a quinta-feira, uma palestra em comemoração ao dia do empresário industrial. Na ocasião, vários assuntos foram abordados e esclarecimentos repassados aos presentes. Os principais assun

A Federação das Indústrias de Minas Gerais, (FIEMG), realizou durante a quinta-feira, uma palestra em comemoração ao dia do empresário industrial. Na ocasião, vários assuntos foram abordados e esclarecimentos repassados aos presentes.

Os principais assuntos expostos durante a palestra, foram voltados para a realidade do empresariado de toda a região Centro Oeste de Minas. A ideia para realizar a palestra surge a partir do momento em que as indústrias mineiras estão cada vez mais fomentadas pelo desenvolvimento tanto industrial quanto econômico. O foco central da palestra foi fornecer aos empresários, o conhecimento para atuar no cenário contemporâneo e discutir sobre os dilemas enfrentados pela indústria atual.

As indústrias do Centro Oeste mineiro passam por bons tempos, conforme explica o diretor regional da FIEMG, Afonso Gonzaga. “Trazemos aqui notícias produtivas. O desenvolvimento das empresas somente no primeiro quadrimestre chegou a 6% e as exportações dos produtos feitos aqui na região cresceram 14%. É um momento importante, no qual podemos discutir as dificuldades que se analisadas não são poucas e estamos lutando pela baixa da carga tributária, por uma política industrial eficiente e que promova a competitividade entre o meio, e com certeza absoluta isso é um ganho”. Argumenta.

O evento contou com a presença do professor em Economia da Universidade de Brasília, Jorge Arbache. Economista sênior do Banco Mundial de Washington (EUA), Arbache foi durante muito tempo consultor de bancos, empresas brasileiras e estrangeiras de vários setores, e também consultor de governos, incluindo de outros continentes como Ásia e África. Sendo autor, lançou mais de 100 artigos, livros, e capítulos tratando de assuntos ligados ao desenvolvimento econômico nacional e internacional, sendo conhecido mundialmente pelo seu trabalho.

Tratando dos mais variados assuntos no ramo do desenvolvimento econômico, empresários puderam interagir e tratar de assuntos ligados aos desafios e às oportunidades. Foram pautadas discussões sobre as crises internacionais e como estas interferem na indústria brasileira. As novas tecnologias também representam um desafio.

Arbache também relacionou o panorama da produção de vários países na confecção de vários produtos manufaturados, fazendo uma relação com o Brasil. A emergência de muitas oportunidades recém surgidas no país também serviu para fomentar as discussões. Comparativos sobre os programas do governo foram abordados, em específico as obras do PAC, obras de infraestrutura, programa Minha Casa, Minha Vida, assim como a eclosão da atual classe média.

“Nesta palestra abordamos temas relativos ao crescimento expansivo das regiões Centro Oeste e Nordeste do país, com isso, estão se criando uma alta demanda nestas regiões, e por fim, ressaltamos sobre como aproveitar melhor as oportunidades que vem surgindo e do momento em que a indústria vive no país”. Declarou o palestrante Jorge Arbache.

Vários empresários e pessoas atuantes no ramo da indústria acompanharam e salientaram a importância de novos vínculos. Fábio, há 36 anos é empresário no setor de Construção Civil e comenta sobre o atual contexto vivido. “Acredito que todo tipo de informação é válido, o mercado está em larga expansão. A única coisa que estamos sentindo é a necessidade maior de mão de obra, que está carente”. Afirmou o empresário da região Centro Oeste. Além disso, vários outros integrantes das mais variadas indústrias marcaram presença no evento. Outro empresário, Edvard Rodrigues, administra uma empresa do setor de cal e afirma sobre o que sua empresa vivenciou nesses primeiros seis meses de 2013: “Durante o primeiro semestre tivemos um desenvolvimento razoável e agora temos um horizonte de melhorias”. Ainda de acordo com o empresário, a espera é que o segundo semestre tenha uma representatividade melhor e assim movimente o seguimento.

As empresas no setor de Siderurgia estão propícias ao crescimento, muitos empresários estiveram presentes e captaram novas experiências para empregar em seus seguimentos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.