segunda-feira, 16 de Junho de 2014 10:26h

Gastronomia Sustentável marca presença na edição de 2014 da Fenamilho

Na festa encerrada no último domingo (15/06), em Patos de Minas, a SES-MG realizou oficinas para mobilizar os participantes

Considerada uma das maiores festas agropecuárias do país, a Festa Nacional do Milho – Fenamilho, realizada em Patos de Minas, contou com uma ação diferenciada na edição de 2014. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais e organizadores do espaço Balaio de Arte e Cultura, promoveu oficinas da Gastronomia Sustentável nos dias 13, 14 e 15 de junho, no espaço Balaio Sabor.

Cerca de 150 moradores locais e visitantes aprenderam a fazer o penne al limone, que é uma das receitas do livro de culinária desenvolvido em parceria com a Nestlé. A obra tem como principal objetivo mostrar o descarte adequado de embalagens e o reaproveitamento de materiais domésticos que são possíveis criadouros do mosquito da dengue.

Estudos comprovam que cerca de 90% dos criadouros do mosquito da dengue estão dentro das casas, e que há indícios de que o Aedes aegypti, além de reproduzir em água limpa e parada, também é capaz de procriar em água suja e salgada. O jornalista e cheff de cozinha da SES-MG, Cássio Machado, alertou os participantes sobre a importância da população auxiliar o poder público a combater a dengue, que é uma doença que pode levar à morte. “Em 2013 foram confirmados mais de 380 mil casos de dengue em Minas Gerais, sendo 117 óbitos. Em 2014 já temos mais de 21 mil casos confirmados da doença no estado, com 20 óbitos”, destacou o jornalista.

Presente em uma das oficinas, o artesão Moisés Batista, estava acompanhado da esposa e dos dois filhos, e disse que são importantes ações como estas que despertam o cuidado com a dengue. “Eu já tive dengue e sei o quanto é ruim. Fico imaginando se uma criança que estiver infectada pelo mosquito sentir a metade da dor que eu senti, ela sofrerá muito”. Outras famílias também estavam presentes, como é o caso da cirurgiã dentista Maria Helena Ramos, que se fazia acompanha do marido e dos dois filhos. “Estávamos passeando pelo Parque de Exposições e resolvemos participar da oficina. São pequenos detalhes num grande universo de objetos que podem servir de foco para a dengue. Aprendemos mais sobre a prevenção, ganhamos livros de receitas e degustamos um excelente macarrão”.

Vanessa Albuquerque, designer e mobilizadora social da SES/MG, demonstrou que caixas e latas podem se transformar em charmosas peças decorativas. “Podemos utilizar o que seria descartado na cozinha e fazer porta lápis, pote, porta retrato, bolsas e organizadores, que além de ser reaproveitados podem virar fonte de renda”. O artesanato chamou a atenção da Maria Moreira, que faz parte da Associação Marias Artesãs de Patos de Minas, que faz verdadeiras obras de arte com a palha do milho. “Meu ofício é reaproveitar, e hoje estou aprendendo a diversificar o artesanato e prevenir contra a dengue”, relatou a artesã.

Aos 79 anos, a dona de casa, Clélia Amorim, assistiu na televisão local a reportagem sobre a Gastronomia Sustentável e convidou a filha para levá-la ao Parque exclusivamente para participar da oficina. “Cozinhar é uma arte, é uma filosofia de vida. Hoje aprendi muita coisa nova, e amanhã já vou fazer as receitas do livro que ganhei”, disse a participante.

Pela primeira vez em Patos de Minas, a agropecuarista, Maria José Santana, veio de Ribeirão Preto para prestigiar a Fenamilho e ficou encantada com o projeto da Secretaria de Saúde de Minas Gerais. “Nunca imaginava uma festa tão organizada como esta e que agrada a todos os gostos. No princípio eu achava que dengue não tinha nada a ver com gastronomia, mas com o desenvolver da oficina, vi a importância do projeto mineiro. Na minha cidade há muitos casos da doença, inclusive uma irmã minha quase morreu por dengue”, concluiu a paulista.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.