quarta-feira, 15 de Junho de 2016 17:24h Prefeitura de Divinópolis

Gestantes contam com pré-natal acompanhado por enfermeira

Uma iniciativa interessante no município vem atendendo a várias gestantes que são assistidas a Estratégia Saúde da Família (ESF) Tietê

Na unidade, além do acompanhamento pré-natal, realizado por um médico generalista, as futuras mamães contam, ainda, com um acompanhamento de uma enfermeira. O trabalho atende o que preconiza a linha guia para a Atenção Primária que é definia pelo Ministério da Saúde.

 

De acordo com a enfermeira Poliane Moreira Costa, que é residente em Atenção Básica em Saúde da Família pela Universidade Federal de São João del-Rei e coordenadora deste trabalho na ESF Tietê, um acompanhamento não exclui o outro, pelo contrário, se complementam. “A linha guia definida pelo Ministério da Saúde aponta que as consultas de pré-natal devem ser intercaladas entre o profissional médico e enfermeiro. São visões diferentes e abordagens diferentes. O médico estará focado mais nas questões das patologias, do desenvolvimento da gravidez e na avaliação dos exames. Já a enfermagem vem para orientar quanto às questões dos cuidados durante a gestação e preparando essa mulher para o parto”, explica Poliane.

 

No acompanhamento feito junto às gestantes pela enfermagem são esclarecidas dúvidas quanto aos direitos e deveres das grávidas e são repassadas também informações não farmacológicas que auxiliam o alívio da dor. Além disso, é realizada a abordagem sobre a importância do parto humanizado e o benefício desta prática para as gestantes e o bebê, e o direito que a mãe tem em fazer a opção por ele.

 

Cronograma

 

Para o pré-natal das gestantes é desenvolvido um cronograma de atividades que além de levar informação faz o acompanhamento da evolução da gravidez com o monitoramento de exames e do Índice de Massa Corporal (IMC).

 

Esse atendimento ocorre de forma individual e também em grupo. “Até a 28ª semana esse atendimento é mensal. Da 28ª semana a 36ª ele passa a ser quinzenal e da 36ª semana a 41ª a orientação é que ele seja feito toda semana”, pontua Poliane.

 

Neste momento é feito o trabalho de educação em saúde e é, também, estimulado o empoderamento das gestantes quando são apresentados direitos que todas têm na hora do parto. Nestes encontros são tratadas questões simples, mas que podem significar muito para as gestantes. Ter conhecimento delas pode garantir, entre outras coisas, mais conforto e segurança na hora do parto. “Um desses exemplos é o direito que a gestante tem de ter um acompanhante durante o trabalho de parto. Muitas acham que esse é um direito de quem vai fazer o parto pelo plano de saúde. Existe lei que regulamenta isso e garante o acompanhante também para quem é atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, diz.

 

Desafio

 

Atualmente no ESF Tietê existem 17 gestantes que passam por esse acompanhamento de enfermagem. Trabalho que vem sendo realizado desde o mês de dezembro de 2015. Para esse mês é previsto um novo encontro de gestante que abordará o tema: “Direito e deveres da gestante”.

 

Para Poliane, desenvolver esse trabalho é desafiador ao mesmo tempo em que é prazeroso. Os resultados se tornam visíveis e o trabalho em grupo serve como troca de experiências. “Os desafios aparecem mesmo é no dia-a-dia. Não tem uma receita de bolo prontinha na hora de realizar este acompanhamento. Cada mulher é de um jeito, cada uma tem uma necessidade maior e nenhuma gestação é igual à outra, até mesmo para uma mesma mulher”, finaliza Poliane.

 

A ESF Tietê fica localizada na rua Caiapó nº 131. 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.