quinta-feira, 25 de Maio de 2017 08:59h Nayara Leite

Grelha metálica solta na Rua Caratinga

Motoristas invadem a contramão ou o que seria a calçada para fugir do buraco

Os moradores da Rua Caratinga, esquina com a Rua Lavras, no bairro São Miguel, estão preocupados com uma estrutura metálica que fica no meio da via e está danificada há aproximadamente um mês. Um acidente com motocicleta aconteceu e vários pedestres se feriram no local.

São traves metálicas dispostas lado a lado sobre uma pequena galeria para passagem de águas pluviais, semelhante a um mata-burro. O problema é que uma das traves se soltou e ninguém apareceu para efetuar a manutenção. A estrutura fica próxima à linha férrea.

O presidente da Associação dos Bairros Dom Perdro II, Belvedere e Turma 48, Everton Jonas Ribeiro, explica que a galeria é pequena, e serve para conter a água das chuvas, escoando-a paralelamente à linha férrea. “É uma espécie de galeria feita pra deter parte da água da chuva e tirá-la da rua. Ela segue do lado da linha e vai para um córrego próximo".

A via é bastante movimentada, são carros, motos, caminhões, carroceiros, ciclistas, inclusive pedestres, todos usam o mesmo espaço, já que não tem calçada e nem local específico para passagem de pedestres.

Os motoristas que sabem do problema desviam, invadem a contramão ou o que seria a calçada, quem não sabe, é surpreendido quando a roda cai no espaço onde estaria a trave metálica.

O problema já é recorrente, segundo Everton, há cerca de oito meses, a situação foi a mesma e, na ocasião, foi resolvida posteriormente por operários da VLI, empresa que administra a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).

As moradoras Selma Santana e Maria Imaculada Lisboa moram há muitos anos ao lado da linha férrea e ressaltam a falta de passagem segura para os pedestres. "É um grande tormento, o pessoal tenta passar com animal e não consegue. Um animal não passa aqui e, se passar, machuca. Para as pessoas também está muito perigoso, porque os carros para desviar do buraco vão para os lados”.

Os moradores questionam ainda a ação do legislativo do município, pois três vereadores usam diariamente a via, por morar na região, para acesso ao centro da cidade, mas nenhum deles até o momento tomou atitudes para a solução do problema. “A gente luta até onde pode e o povo que pode não ajuda a gente”, declararam os moradores indignados.

Os moradores reclamam da qualidade do serviço, a estrutura instalada faz um barulho alto com a passagem de qualquer veículo, como a via é movimentada, o barulho é constante. “Seja quem foi que fez, foi de má qualidade, um serviço mal feito. Quando tem uma chuva muito forte, inunda comércios e residências próximas e o barulho é dia e noite, não para", ressalta Everton.

ACIDENTES

Há aproximadamente 15 dias, uma mulher que esteve em uma moto caiu no local. “A moça passou, não viu o buraco e a moto em que estava, por ter a roda pequena, não passou e a moça chegou a cair", relembram Selma e Maria Imaculada.

As moradores detalham que muitas pessoas já caíram no local, a maioria idosos. A preocupação maior é com o segurança, o barulho causado pela estrutura fica em segundo plano. “O barulho a gente vai suportando, difícil é ver as pessoas de idade caindo ali, um senhor já teve que ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros", lamentam as moradoras.

Os moradores questionavam entre si sobre a responsabilidade de manutenção do trecho. Alguns achavam que seria da Prefeitura, por se tratar de uma via pública, outros acreditavam ser da VLI, pela proximidade da linha férrea.

PREFEITURA

A Secretaria de Trânsito e Transportes irá enviar um técnico ao local e tomar as providências necessárias, caso seja de responsabilidade do Município.

VLI

A VLI informou, através de uma nota, que irá enviar uma equipe hoje (25) para avaliar a situação da grelha e programar os reparos necessários.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.