terça-feira, 14 de Julho de 2015 10:18h Atualizado em 14 de Julho de 2015 às 10:21h. Pollyanna Martins

Greve do INSS completa uma semana e irá continuar

Decisão foi tomada durante uma assembleia realizada hoje no Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social, Saúde, Previdência, Trabalho e Assistência Social em Minas Gerais (Sintsprev/MG)

Os funcionários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vão continuar em greve. A decisão foi tomada em uma assembleia realizada na tarde de ontem, no Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social, Saúde, Previdência, Trabalho e Assistência Social em Minas Gerais (Sintsprev/MG). Segundo a diretora do sindicato, Cleusa Faustino, em Minas Gerais são 1.843 funcionários, distribuídos em 186 unidades do INSS e, destes servidore, 80% aderiram à greve.
Ontem, a greve dos servidores completou uma semana. A classe está reivindicando um aumento imediato de 27,5%, além de aumento gradual nos próximos quatro anos, e melhorias nas condições de trabalho e de atendimento ao público. De acordo com a diretora do sindicato, uma audiência foi realizada ontem com o ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, para discutir a reivindicação. “Nós definimos que a greve vai ser mantida até que tenha a reunião com o ministro. O governo fez uma proposta parcelada e a nossa proposta é de um aumento emergencial de 27,5% em 2016. Enquanto as pautas não forem atendidas a greve vai continuar”, informa.
Outra reivindicação dos servidores é a realização de um concurso público. Conforme Cleusa, o INSS tem um déficit de cinco mil funcionários em todo Brasil, e o governo propôs realizar um concurso disponibilizando apenas 950 vagas, o que ainda deixa uma falha de 81% no quadro de funcionários do Instituto. “O governo ainda está analisando a possibilidade de realizar esse concurso. Esse concurso entraria na nossa reivindicação de melhorias nas condições de trabalho e de atendimento ao público, mas ele não vai resolver, porque o déficit é bem maior do que o número de vagas que vão ser disponibilizadas”, detalha.
Ainda conforme a diretora do sindicato, em Divinópolis 32 funcionários da agência aderiram à greve, ou seja, 100% divididos em trabalhos internos e externos. No dia 7 de julho, o gerente executivo da agência em Divinópolis, Marcos Silva Correa, informou que são realizados cerca de 300 atendimentos por dia, dentre esses, 200 são espontâneos (sem agendamento), 70 são agendados para requerer algum benefício e 80 são perícias médicas, e que apenas os atendimentos agendados estavam sendo realizados. Nossa reportagem tentou entrar em contato com o gerente executivo, mas ele estava em reunião.

 

Crédito: Sintsprev/MG
Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.