sábado, 18 de Outubro de 2014 15:38h Atualizado em 18 de Outubro de 2014 às 15:40h. Lorena Silva

Hidrante jorra em grande quantidade em rua do bairro Interlagos para que serviço da Copasa possa ser feito

Companhia garante que é o método mais eficaz para que serviço ocorra sem grande desperdício de água

Crédito: Lorena Silva

 


Quem passava pela Rua Francisco Malaquias, no bairro Interlagos, por volta de umas 16h de ontem, se deparava com uma enorme quantidade de água jorrando de um hidrante e tentava entender qual o motivo para tamanho desperdício. A abertura do equipamento se deu por funcionários da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) que realizavam a contenção de um vazamento de água que ocorria desde cedo, na mesma via.
O funcionário público, José Nunes, que mora bem em frente ao local do vazamento, conta que o problema teria tido início por volta das 10h. Segundo José, uma equipe da Copasa havia comparecido à rua ainda pela manhã, após acionamento de um vizinho, mas não teriam solucionado a questão. Os funcionários voltaram à tarde e trabalhavam no momento em que nossa equipe esteve no local.

DESPERDÍCIO
Ao mesmo tempo em que a equipe da Copasa tentava solucionar o vazamento, a água proveniente do hidrante jorrava com pressão pela rua inteira. A quantidade desperdiçada e a força da água era tanta que os motoristas que passavam pelo local aproveitavam o jato de água para “lavar” os carros.
A situação ocorreu no mesmo momento em que Divinópolis passa por um longo período de estiagem e diversas cidades da região sentem as consequências da seca. Algumas já utilizam o sistema de racionamento de água, decretaram Estado de Emergência e têm multado pessoas que desperdiçarem o bem.
Só até o momento em que nossa equipe permaneceu no local o desperdício de água vindo do hidrante já durava quase uma hora. Indignado, José ainda lembrou. “Tantos bairros de Divinópolis já sofrem com a falta de água, nós temos que economizar e a conta está vindo alta, né? Esse vazamento já está desperdiçando há umas cinco, seis horas.”

COPASA
Em resposta, a Copasa explicou que para diminuir a pressão da água na rede e permitir a execução do serviço, além de fechar o registro, para acelerar este processo também, foi dada descarga na rede.
Segundo a Companhia, esse é o método mais eficaz para que o serviço ocorra sem que se desperdice tanta água. “O procedimento, à primeira vista causador de desperdício, diminui o tempo para execução do serviço e causa menos impacto na perda de água”, disse a empresa em nota.
Ainda de acordo com a Copasa, todo o serviço foi executado na tarde de ontem e ainda pela noite o abastecimento de água seria normalizado.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.