sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2016 08:59h Pollyanna Martins

Historiador cria álbum de figurinhas contando parte da história de Divinópolis

O álbum terá 252 personalidades de Divinópolis, e conta histórias sobre a ferrovia, o Museu Histórico, o Teatro Municipal Usina Gravatá e outros

O historiador, Welber Skaull, vai lançar um álbum de figurinhas contando parte da cidade de Divinópolis. O álbum, que ainda não tem data definida para ser lançado, contará parte da história de Divinópolis, e terá 252 personalidades da cidade, entre elas, todos os prefeitos do município. De acordo com Skaull, a inspiração para a iniciativa veio da infância. Apaixonado por álbuns de figurinhas, o historiador conta que passa para o filho todo este amor. “Eu sou apaixonado desde criança [por álbum de figurinhas] e incentivo o meu filho. Nos últimos dois anos, eu fiz o álbum de figurinhas do campeonato do [clube] Estrela. Fiz das categorias infantil, adulto e dos veteranos e tive uma sensação muito boa”.

 


Após a criação do álbum de figurinhas do campeonato de futebol do Estrela do Oeste Clube, Skaull iniciou então o projeto do álbum de figurinhas, contando a história de Divinópolis. O processo para a criação e execução durou dois anos. Segundo o historiador, um ano foi dedicado à pesquisa junto a outros historiadores da cidade, e o segundo ano para a escolha de quem estaria no álbum. “Eu comecei a pesquisa há dois anos, e tem um ano que eu comecei a discutir os nomes que estariam nele”, conta. Ainda de acordo com o historiador, vários critérios foram utilizados para a escolha dos personagens que estão no álbum. “Partiu do princípio que a pessoa deve ter uma participação notória na cidade. Ou ela tem uma influência no desenvolvimento de algum setor, ou ela tem destaque pessoal, ou ainda uma vida marcante”, explica.

 


Além dos 24 prefeitos do município, o álbum conta ainda com pessoas comuns, que fizeram parte da cidade, como por exemplo, as moradoras de rua, Papinho D’ Água Doce e Xuxu Beleza. “Era uma época que tínhamos os moradores de rua como algo lendário. Eles eram marginais por estarem à margem da sociedade, e não de mal feitores. Tinha essa magia”. Os antigos ferroviários – funcionários da extinta Ferrovia – também ganharam lugar no álbum que ilustra um pouco a história da cidade do Divino. “Nós temos alguns ex-ferroviários, como o Guilherme Sanches, que faleceu há duas semanas. Tem a história do seu Silas, que está com 90 anos e foi da primeira turma da escola da ferrovia”, adianta. 

 


O álbum conta ainda com a imagem do fundador do Jornal Gazeta do Oeste, Antônio Eustáquio Rodrigues; do fundador do Sistema MPA de Comunicação, Mayrink Pinto de Aguiar; o músico Arlindo Bigode, da antiga Banda Santinho. “São pessoas que tiveram participação na cidade que merecem estar no álbum. Nós temos hoje o seu Mercemiro, o Augusto Fidélis, são pessoas que estão aí, e você vai poder encontrar com eles e pedir para autografar a figurinha. A ideia é que o álbum continue, e vai ter uma 2ª edição”, revela.

 

 


HISTÓRIA
O historiador conta ainda que, no álbum haverá um pouco da história da cidade. Cada prefeito que está no álbum tem apontado o período que esteve à frente da cidade. Foi colocada também a história do Teatro Municipal Usina Gravatá, do Museu Histórico, da antiga Rede Ferroviária. “A gente tem que situar as pessoas sobre a história da cidade. O nascimento da cidade. Tem que ter o porquê de os prefeitos estarem na primeira página. Nós contamos quem foi o Henrique Galvão no álbum. Ele foi o primeiro nome da cidade depois de emancipada, foi o engenheiro que trouxe a ferrovia para cá”, explica.

 

 


LANÇAMENTO
O pré-lançamento foi realizado no dia 18 de janeiro, quando o álbum ainda tinha 35 figurinhas em branco. No evento, Skaull ouviu e pesquisou entre os presentes quem merecia estar no projeto. O álbum já está quase finalizado e estará nas bancas no final de fevereiro até o início de março, para acompanhar o começo do ano letivo. “Foi legal essa pesquisa, porque apareceram nomes que não poderiam faltar. A cidade tem uma história muito rica. Eu acredito que o álbum vai ser bem aceito nas escolas, para ser trabalhada a história de Divinópolis”, avalia.
O álbum será vendido a R$ 10, e o pacote com cinco figurinhas será R$ 1. De acordo com o historiador, inicialmente serão lançados mil álbuns. Apesar de a tiragem ser baixa, os donos das bancas de revista já estão perguntando quando o álbum vai chegar. “Isso é maravilhoso. O lançamento está programado para daqui um mês, e já tem gente perguntando. Mesmo se eu não conseguir patrocínio, o álbum vai sair de acordo com a minha condição. O mais caro e dificultoso, que é a pesquisa, já está pronto”, garante.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.