sexta-feira, 23 de Janeiro de 2015 09:12h

Hospital São João de Deus busca ajuda para promover reencontro entre família e paciente desaparecido há 20 anos

O Hospital São João de Deus está buscando recursos para promover o reencontro de um paciente internado desde o dia 11 de dezembro no ano passado e que ganhou alta na última segunda-feira, dia 19 de janeiro

De acordo com a Assistente Social, Graciele da Silva, o paciente Devanir Segura internou devido a problemas de insuficiência cardíaca e respiratória e teve uma piora em seu quadro de saúde no dia 19 de dezembro, quando veio transferido da Unidade II para a UTI do Hospital São João de Deus. “Nós ficamos sabendo do caso quando ele deu entrada na UTI do hospital. A equipe fez um contato conosco falando sobre um paciente grave e disse que não havia muita expectativa de melhora, além de não ter nenhum contato familiar. Então, eles pediram para que nós do Serviço Social, tentássemos localizar a família”, explica.
O paciente registrou a entrada na UTI Adulta enquanto estava inconsciente. Com o Cartão SUS e os documentos de Devanir em mãos, o Serviço Social iniciou a busca pela família e conseguiram de imediato localizar o telefone de uma irmã dele, que reside em Campinas, interior de São Paulo. “Ela nos contou que há mais de vinte anos que a família não tem contato com o Devanir. Relatou também que a última vez que se viram foi quando a mãe deles faleceu. Desde essa época, os filhos de Devanir procuravam por ele. Posterior a nossa ligação um dos filhos fez o contato conosco para saber notícias e falou que ele realmente estava procurando o pai há muito tempo”, relata Graciele.
No primeiro contato com a irmã do paciente, o Assistente Social do HSJD, Hermes Ferreira disse que devido ao grande tempo que passou desde o desaparecimento de Devanir, a família pensou que era um trote e já o considerava morto. “As famílias que nós entramos em contato como neste caso, sempre demonstram uma emoção muito grande. No caso do Devanir, não foi diferente, já que ele era dado como morto pelos irmãos. No momento que eu disse “ele está aqui conosco” a irmã do paciente achou que era trote, mas eu forneci todos os meus dados profissionais e do Hospital para que ela pudesse ter a certeza de que não se tratava de um trote. Quando eu dei detalhes sobre a vida dele, ela ficou muito emocionada ao telefone”, detalha.
Após o contato com a irmã, o filho de Devanir ligou prontamente para a equipe do Serviço Social e relatou que ele não havia conhecimento de que o pai estava em situação de rua. Ele se prontificou em tentar uma vinda ao hospital ou tentar um local para encaminhar o pai, entretanto não havia condições financeiras para o transporte. “Não tem como ele vir ao hospital, mas uma irmã de Devanir, que também era uma das poucas irmãs que ainda procuravam por ele, sem ser a que nós fizemos o primeiro contato, deseja recebê-lo em casa para cuidar dele”, disse Hermes.
O medo de rejeição por parte do paciente e a distância entre a cidade de Divinópolis e São José do Rio Preto, cidade onde reside a irmã de Devanir que irá acolhê-lo, é a grande dificuldade para que o reencontro após 20 anos possa acontecer. Para isso paciente, família e serviço social do Hospital São João de Deus necessitam de ajuda da população. “A família do paciente é toda de outro estado e um de seus filhos inclusive está fora do país. Nós não sabemos quais são as condições socioeconômicas dessa família e não temos condições financeiras de levá-lo até lá. Sabemos que boa vontade por parte da família existe, mas a principal dificuldade é a distância. Há um grande desejo em ajudar, entretanto temos também a questão do vínculo afetivo que está rompido há 20 anos, sem contar com uma série de problemas apresentados pelo paciente como o alcoolismo, o que o deixa inseguro”, explica Hermes.
Expectativa
Ansioso pelo reencontro, Devanir relata o afeto que tem com sua irmã que irá recebê-lo e diz ainda que perdeu a noção do tempo, mas agradece o apoio recebido pelos profissionais que cuidaram dele durante todo o período de internação. “Cheguei aqui ruim, os enfermeiros tomaram conta de mim. Não sei quantos dias que estou aqui. A única coisa que eu tenho que fazer é agradecer muito a Deus e pedir para que todos tenham a assistência que eu tive aqui. Eu passei por dificuldades e ultimamente estava na rua catando papelão para poder sobreviver. O único apoio que eu tive foi aqui no Hospital São João de Deus. O Serviço Social conseguiu entrar em contato com a minha irmã Eliane e ela me receberá de braços abertos em São José do Rio Preto, porque nós somos muito unidos”.
Ajuda
Para chegar até a família de Devanir, a equipe do Serviço Social do Hospital São João de Deus entrou em contato com diversas instituições. Com os primeiros dados em mãos foi possível organizar informações até chegar aos nomes dos pais do paciente. “Começamos com uma interação entre o Serviço Social e a equipe de Enfermagem porque tudo o que ele falava na UTI e no quarto, a enfermagem passava para nós. Usamos todos os depoimentos como base para procurar esses familiares. Então, sempre que chegamos a um paciente que não tem família, principalmente na UTI ou quando chega sem acompanhante nos setores, começamos a fazer essa busca. Entramos em contato com outros órgãos da Prefeitura aqui da cidade, o Centro POP e a Sedese - Secretaria de Desenvolvimento Social, já que o paciente era conhecido nesses serviços. A partir daí fomos montando um quebra-cabeças, com os dados que eles tinham e as informações que nós tínhamos, conseguimos localizar o cartão SUS. Com os dados desse paciente e a partir do nome dos pais encontramos os irmãos e tentamos nas secretarias e nos serviços de saúde da cidade de São José do Rio Preto e PSF – Programa de Saúde da Família o telefone de uma das irmãs” explica Hermes.
Para promover o encontro entre paciente e seus familiares, o Hospital pede o apoio da população. Os interessados em ajudar devem entrar em contato com o Serviço Social pelo telefone (37) 3229 7707.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.