segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2016 11:07h

Hospital São João Deus busca novo prazo para quitar dívida com a Caixa

O Prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, acompanhado do vice-prefeito Rodrigo Resende, do deputado federal Jaime Martins, do secretário de Saúde David Maia, promotor Sérgio Gildin e do presidente da Comissão de Saúde, Edimilson Andrade

O Prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, acompanhado do vice-prefeito Rodrigo Resende, do deputado federal Jaime Martins, do secretário de Saúde David Maia, promotor Sérgio Gildin e do presidente da Comissão de Saúde, Edimilson Andrade, se encontrou na manhã desta segunda-feira (01/02) com o superintendente da Caixa Econômica Federal, Marcelo Bonfim, para tratar da dívida do Hospital São João de Deus (HSJD) com a instituição bancária. A intenção do encontro foi buscar novos prazos para diminuir a parcela mensal de R$ 600 mil.

O prefeito Vladimir Azevedo destacou a importância de uma carência maior para HSDJ, visando aumentar o fluxo de caixa da unidade hospitalar. “Nossa agenda com a Caixa é para tentar uma nova carência dos juros em cima da dívida, para o hospital ganhar um fôlego de caixa. Com isso, contribuir para recuperar o ciclo virtuoso de produção e assistência que é o nosso objetivo”, disse.

Na opinião do vice-prefeito, é necessária essa renegociação para dar vida longa ao HSJD.
“Para recuperar e dar vida longa ao hospital é preciso mais fôlego. É nossa prioridade buscar formas para recuperá-lo. A intenção é dilatar os prazos para pagamento que o hospital tem com o banco, garantindo um fluxo melhor de caixa para HSJD”, ressaltou.

Para o promotor Sérgio Gildin, superar a crise exige um novo acordo com a Caixa. “É uma nova etapa para superação desta crise. O reequilíbrio das contas do hospital passa por um novo pacto com a Caixa, para viabilizar essa recuperação”, destacou.

O superintendente da Caixa, Marcelo Bonfim, afirmou que será realizada uma análise para avaliar a possibilidade de conceder a carência. 
“Vamos estudar para contribuir com o hospital. Temos que fazer uma análise completa do possível, porque dependemos de várias áreas da Caixa e nunca deixaremos de ajudar uma instituição tão importante para 54 municípios da região”, afirmou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.