quinta-feira, 22 de Novembro de 2012 09:53h Erik Ulysses

Idosa cai no golpe do bilhete premiado e perde 24 mil reais em Divinópolis

Na tarde de terça-feira, por volta das 14h22 uma senhora de 70 anos procurou a Polícia Militar para relatar que havia caído em um golpe do bilhete premiado. De acordo com a senhora, ela estava transitando pela Rua Rio de Janeiro, próximo ao cruzamento com a Avenida Antônio Olímpio de Morais, quando foi abordada por um indivíduo de mais ou menos 70 anos, negro, alto e com aparência física forte. O homem então pediu para que a mulher o ajudasse a receber um prêmio no valor de 5 milhões e 590 mil reais. Nesse momento se aproximou um homem que disse se chamar Henrique, de pele clara e aparentando ter por volta de 30 anos, e ofereceu ajuda para que o prêmio fosse resgatado.

 


O autor que estava de posse do suposto bilhete premiado ofereceu uma recompensa de 590 mil reais para ser dividido entre a idosa e o outro indivíduo mais novo. Contudo, para que a recompensa fosse entregue ele exigiu o valor de 60 mil reais em dinheiro dos dois. A vítima então foi até a agencia bancaria e sacou 24 mil reais, o que representava o valor total de sua conta, e repassou o dinheiro para os dois autores. Na sequência os dois disseram que iriam sacar o dinheiro do outro rapaz em uma agência bancária e depois retornariam para encontrar a senhora. Passadas três horas os dois homens não voltaram e a vítima percebeu que havia caído em um golpe.

 


Segundo o tenente coronel Júlio Teodoro dos Santos, comandante do 23° BPM, as maiores vítimas desses golpes são justamente os idosos. O comandante ressaltou ser importante que as pessoas fiquem alertas quanto a esse tipo de golpe, uma vez que ninguém doaria um valor tão alto assim e nem pediriam uma compensação financeira em troca. “O que a gente vê na pratica é que a maioria das pessoas que caem em golpe já são pessoas idosas. Naquela vontade de ganhar um alto valor, de ficar rico da noite para o dia, a pessoa é envolvida pelos autores do golpe e acabam sacando um grande valor em suas contas bancárias. Então isso não acontece na vida real, quer dizer, ninguém vai te oferecer dinheiro tão facial assim, de uma forma lícita. Então, é preciso desconfiar, não confiar em pessoa estranha e qualquer pessoa que te aborde e você não conheça você tem que evitar conversa. E também acionar a Polícia Militar em caso de suspeição” afirmou. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.