segunda-feira, 13 de Julho de 2015 13:07h

Invenção dos Sonhos II reúne maior número de jovens artistas no Gravatá

O Fazendo Arte reuniu a maior quantidade de artista da história do Teatro Municipal Usina Gravatá

250 jovens artistas arrancaram fortes aplausos de uma plateia de 1,2 mil pessoas em quatro dias de apresentação no espetáculo “Sétima Arte- Invenção dos Sonhos II”. Pais, convidados, autoridades e diretores puderam conferir a homenagem do Fazendo Arte ao cinema de 8 a 12 de julho.

Com roteiro de Lene Pereira e produção geral de Lenir de Castro, o Fazendo Arte reuniu jovens em 16 cenas de teatro, dança, música e artes plásticas. A peça inicia com quatro jovens encontrando a personagem Doroti do filme Mágico de Oz. Neste momento a apresentação passa por filmes consagrados como “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, o filme brasileiro “Auto da Compadecida ” e o americano “Cantando na Chuva”. “Tropa de Elite” e “Chicago” também recebem homenagem do projeto. Charles Chaplin além de Titanic, Grease e Transformers também entrou no roteiro.

O vice-prefeito de Divinópolis, Rodrigo Resende, participou do segundo dia das apresentações no Gravatá. Ele afirmou que a proposta é um importante passo para a formação dos jovens.

“Assistimos a uma grande apresentação. Jovens artistas em uma apresentação belíssima emocionou a plateia. Projeto como esse o município faz questão de apoiar”, declarou.

A secretária Municipal de Educação, Rosemary Lasmar, ressaltou a objetividade do projeto para o futuro. “O projeto é menina dos nossos olhos. Não tem preço nenhum que pague o tamanho de abrangência para formação destes jovens de várias comunidades de Divinópolis”, afirmou Lasmar, que representou o prefeito Vladimir Azevedo no último dia de apresentação.

A assessora técnica da Gerdau, Conceição Maciel, destacou a parceria entre a empresa e o projeto. “Já são nove anos de parceira entre a Gerdau e o Fazendo Arte e continuaremos apoiando porque entendemos que é uma proposta que forma mais jovens conscientes. O espetáculo mais uma vez foi fantástico e emocionante”, disse.

Artistas, direção e pais

O corretor de imóveis, Edmar Viera, tem um filho no projeto e acompanha suas apresentações no hip-hop. “No ano passado já tinha sido excelente a apresentação e neste ano foi ainda melhor. Continuo apoiando e sempre apoiarei meu filho a participar do projeto, pois à cada dia ele melhora na disciplina e na atenção”, destacou.

Para a diretora da Escola Estadual Lauro Epifânio, Nedina Maria, o projeto contribui na disciplina e rendimento escolar.

“O Fazendo Arte veio transformar os nossos adolescentes. Contribui na disciplina, rendimento escolar e respeito um com o outro. Somos parceiros eternamente do projeto. Foi importante nesta apresentação o projeto convidar os funcionários da escola para conhecer o resultado final que é o espetáculo”, disse.

A jovem artista, Clara Leida Lara, foi um das protagonistas da apresentação e confirmou que cada um dos 250 jovens participantes se doou para arrancar os aplausos. “Cada um se dedicou o máximo nesta apresentação. Neste segundo espetáculo as mudanças tiveram um visual especial. As emoções dos personagens foram muito mais apuradas e foi uma experiência fantástica”, contou.

A diretora artística do Fazendo Arte, Lene Pereira, destacou a energia dos alunos nos quatro dias de apresentações.

“Foi surpreende porque quatro dias de apresentações tem o desgaste natural. Os alunos subiram ao palco com energia durante todos os dias e isso traz para o projeto uma alegria de saber que estão preparados e enfrentar as apresentações com emoção, técnica e alegria. Foi emocionante essas apresentações”, destacou.

A coordenadora geral do Projeto, Lenir de Castro, lembrou que foi uma maratona de apresentações com sucesso de público e o espetáculo reuniu o maior número de jovens artistas  no palco da história da cidade.

“Reunimos numa apresentação 250 jovens e é o maior número de artista em um único espetáculo da história do Teatro Municipal Usina Gravatá. O espetáculo conseguiu mostrar o brilho e encantou 1,2 mil pessoas presentes ao teatro.  Produzimos durante meses um trabalho com carinho e muita dignidade para que os convidados pudessem se emocionar nestas apresentações”, comentou.

Fazendo Arte

O projeto incentiva a arte desde 2002 através das oficinas de artes plásticas, flauta, violão, canto, teatro, viola caipira, teatro musical, contação de histórias, danças (Balet / jazz/ folclóricas / hip-hop),percussão e canto popular. O projeto Fazendo Arte é patrocinado pela Gerdau por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. A gestão é da Associação Cultural, Educação, Social e Artística (Acesa), além de apoio da Prefeitura de Divinópolis, através das secretarias municipais de cultura e educação. O Centro Diocesano de Divinópolis e TV Integração também são apoiadores do Fazendo Arte.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.