sábado, 1 de Setembro de 2012 09:55h Carla Mariela

Jaime Martins se reúne com Receita Federal sobre dívida do HSJD

O deputado ainda ressaltou sobre o número de leitos disponibilizados pelo hospital. “O nosso desejo é que em um determinado prazo não muito longo, a gente possa ter o aumento de número de leitos"

Na tentativa de buscar novos caminhos para solucionar a dívida que o Hospital São João de Deus (HSJD) possui, o Deputado Federal Jaime Martins (PR) se reuniu com o superintendente do hospital, Euler Baumgratz, o diretor Dr. Alair Rodrigues; os representantes da Receita Federal, para juntos buscarem alternativas para que a dívida seja renegociada e a instituição possa continuar desenvolvendo o trabalho para Divinópolis e região sem preocupações.

 


De acordo com Jaime Martins, o encontro foi realizado porque a nova direção do Hospital São João de Deus está buscando uma gestão eficiente e adequada. “Os representantes do hospital, nessa reunião vieram na tentativa de regularizar essa situação pela qual a instituição passa. A nossa expectativa em relação a isso é bastante favorável. Nós reconhecemos um enorme esforço que está sendo feito pela direção do hospital internamente, buscando equacionar custos e externamente nós estamos trazendo o nosso apoio, quer seja junto com as instituições de crédito, como é o caso da Caixa Econômica Federal, quer seja junto à Receita, no sentido de que se possa, respeitando todos os parâmetros legais ser encontrada a forma mais adequada possível” ressaltou.

 


Ainda de acordo com Jaime Martins, para que os problemas sejam solucionados, eles têm encontrado as portas abertas e boa vontade das autoridades. Para ele, com a capacidade gestora que o hospital tem demonstrado, a sua expectativa é bastante favorável para que seja encontrado um denominador adequado para que o Hospital São João de Deus possa não só continuar sendo essa instituição tão importante para o Município de Divinópolis e para a região Centro-Oeste, e que possa aumentar o seu serviço para toda a população.

 


O deputado ainda ressaltou sobre o número de leitos disponibilizados pelo hospital. “O nosso desejo é que em um determinado prazo não muito longo, a gente possa ter o aumento de número de leitos, tanto do CTI adulto que  estamos inclusive transferindo recursos, como também do hospital geral e do número de leitos a serem oferecidos ao SUS. Nós precisamos também melhorar a oferta dos serviços de alta complexidade e um deles que nós temos expectativa bastante favorável a curto prazo é o serviço de oncologia, com a ampliação e melhoria do Hospital do Câncer. Então a nossa expectativa é favorável, embora em um quadro de dificuldades, mas dificuldades que estão sendo enfrentadas com firmeza e competência”, disse.

 


O representante do HSJD, Euller Baumgratz, relatou que a expectativa para que essa renegociação da dívida seja realizada e completamente resolvida é das melhores, pois para ele, foi proposta uma condição de parcelamento dentro das condições atuais da instituição.

 


Existe a possibilidade dos representantes pagarem a dívida de forma parcelada, uma vez que o delegado da Receita Federal Marcos Paulo Pereira e auditores disponibilizaram auxílio para a unidade de saúde solucionar os problemas com mais rapidez sem prejudicar os pacientes, os funcionários e a população divinopolitana.
Jaime Martins na próxima quarta-feira vai se reunir com o presidente da Caixa Econômica com o objetivo de buscar alternativas para uma linha de financiamentos que foi lançada pelo Ministério da Saúde, que é uma linha de juros mais baixos em condições mais favoráveis e termo de alongamento da dívida. “Nós vamos buscar alternativas de que os hospitais possam se enquadrar, a linha foi lançada já há algum tempo, mas ficou sem acesso. Que o HSJD possa se enquadrar dentro dessa modalidade de financiamento para que possa haver um alívio das finanças”, finalizou.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.